Saiba mais sobre os tipos de multas existentes no Brasil

multas-no-brasil
4 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Desde 1998, ouvimos falar sobre os diversos tipos de multas previstas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Mas será que realmente sabemos o que cada um significa e por que existe essa divisão? Apesar de ser um assunto bem presente, muita gente ainda tem dúvidas sobre esse sistema.

Ao longo deste texto, vamos apresentar os tipos de multas previstos no CTB e os motivos dessa classificação, bem como dar alguns exemplos de infrações e explicar como funciona o sistema de pontuação. Fique com a gente!

Veja também:

Quais são os tipos de multa existentes no Brasil?

O Código de Trânsito Brasileiro classifica as multas de acordo com o risco que a infração pode causar. Isso quer dizer que uma infração leve, por exemplo, tem menor possibilidade de gerar um acidente. Já nas gravíssimas, o potencial de problemas sérios é bem maior. Vamos conhecer um pouco mais sobre cada tipo?

Leve e média

As multas leves são aquelas que, muitas vezes, acabam passando despercebidas. Alguns exemplos bem comuns são fazer o reparo de veículos na rua, parar sobre a faixa de pedestres ou usar a buzina após 22 horas. Nesses casos, o condutor é punido com 3 pontos na carteira e tem de desembolsar R$88,38.

Infrações médias também são bem comuns, principalmente se o proprietário ignora alguns cuidados com o veículo. Um dos melhores exemplos é trafegar com um problema no sistema de iluminação do carro, como a luz da lanterna queimada. Por isso a manutenção preventiva é tão importante — afinal, ninguém quer perder 4 pontos na CNH e ter de pagar R$130,16.

Grave

Percebeu que, até então, as infrações não traziam um grande risco à segurança? Isso já não acontece nas infrações graves, que têm um potencial maior de causar acidentes. Por isso, as penalizações são maiores. O condutor que for flagrado descumprindo a legislação paga R$195,23 e perde 5 pontos na carteira.

Alguns dos exemplos mais comuns de multas graves ocorrem principalmente por pequenos descuidos, mas que podem trazer sérias consequências. Andar sem cinto de segurança e deixar de prestar socorro a uma vítima de acidente são algumas das situações.

Gravíssima

São as multas consideradas gravíssimas que trazem alto risco de acidentes. Trafegar em uma velocidade 50% acima da máxima permitida e dirigir falando ao celular ou alcoolizado são somente alguns dos exemplos que colocam todos em risco. Aliás, algumas dessas infrações são suspensivas, ou seja, você pode ter a CNH suspensa por um tempo.

As multas gravíssimas têm um valor mínimo de R$293,47 e causam a perda de 7 pontos na CNH. Sim, existe um valor mínimo! Um detalhe conhecido como fator de multiplicação pode elevar esse número em até 60 vezes, chegando a até R$ 17.608,20.

Além disso, se o condutor cometer a mesma infração em um período de 12 meses, as consequências podem ser ainda mais sérias.

Como funciona o sistema de pontos na carteira?

Bom, você viu vários valores e questões sobre pontuação na carteira — mas o que isso quer dizer? Esses pontos são somados e, caso seja atingido um número superior a 19 em um período de 12 meses, a CNH desse motorista pode ser suspensa. Além disso, como dissemos, algumas infrações gravíssimas são suspensivas, ou seja, não é necessário atingir 20 pontos para que isso aconteça.

Esses pontos têm validade de 12 meses, mas é preciso ter atenção a um detalhe. Eles expiram individualmente: se você cometer uma infração em outubro e outra em dezembro, por exemplo, a pontuação de cada uma sumirá na data em que a multa foi gerada e não de uma vez no início do ano, como muitos pensam.

Quer evitar qualquer um dos tipos de multa que mostramos? Então, pratique a direção defensiva, mantenha uma boa postura ao dirigir e cuide da manutenção do seu carro. Como vimos, o gasto tende a ser alto, você pode ter a CNH suspensa e o pior: colocar a vida das pessoas (e a sua!) em risco.

Quer ficar por dentro das últimas notícias do mundo automotivo? Então, siga a Nakata no Instagram, Facebook, YouTube e LinkedIn!

Powered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe um comentário