Meu carro quebrou: veja agora o que você precisa fazer!

Meu carro quebrou
6 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Você se preparou para aquela viagem de férias, colocou no porta-malas tudo o que faria desse um momento inesquecível, mas no meio do caminho o carro quebrou. Isso costuma acontecer bastante, principalmente em períodos de calor. Contudo, saber como agir pode ser a diferença entre um pequeno contratempo até muitas despesas e dores de cabeça.

Ao longo deste texto, vamos mostrar o que fazer no caso de uma quebra, como evitar que esse tipo de situação aconteça e muito mais!

Veja também:

O que fazer quando o carro quebra?

O carro quebrou? Mantenha a calma. Ficar nervoso, além de não ajudar, pode complicar ainda mais a situação. Problemas acontecem e saber resolvê-los de forma rápida e sem estresse é fundamental. Primeiramente, se você perceber que o veículo está se comportando de forma estranha, pare-o o quanto antes.

Porém, se o carro quebrou no meio de uma via pública — seja ela movimentada ou não —, tente movê-lo para um lugar seguro e que não atrapalhe os outros motoristas. Sempre que for fazer isso, tome bastante cuidado, em especial se estiver em uma estrada.

Como resolver o problema de forma rápida?

Uma vez que o carro já esteja em um local seguro, não tente fazer o conserto. Sabia que isso rende multa? Realizar esses reparos em rodovias é uma infração grave. Por isso, nada de tentar resolver na hora, tudo bem? Seguindo três passos bem simples, você consegue sair dessa situação de forma rápida e segura.

Primeiramente, faça a sinalização para avisar aos outros motoristas que existe um carro quebrado à frente. Verifique o local em que você parou o veículo e peça o socorro de um guincho. É muito importante que a remoção não seja feita por cordas presas em outro automóvel, pois isso também não é permitido. Vamos ver mais a fundo cada etapa?

Como sinalizar a via?

O primeiro passo para resolver a situação de forma rápida é sinalizar a via, evitando que outros motoristas possam vir a causar um acidente. Ligue o pisca-alerta e coloque o triângulo sinalizador na distância recomendada para a via. É bem fácil descobrir. Para cada quilômetro por hora de velocidade permitida conte um passo.

Quer um exemplo? Se você estiver em uma via com velocidade máxima de 80 km/h, dê 80 passos e coloque o triângulo. Fácil não? Se estiver em um local escuro, como um túnel, faça isso com a ajuda de uma lanterna e indique aos motoristas a sua presença, sempre andando contra o fluxo dos carros e pelo acostamento ou calçada.

Como checar o local em que você parou?

Quando chegar a hora de pedir socorro, eles precisarão saber a sua localização, não é mesmo? Mas nem sempre sabemos exatamente onde o carro quebrou, principalmente se for um local mais afastado ou uma rodovia. Porém, não é preciso se desesperar, uma vez que a solução é bem simples.

Se você tiver um smartphone em mãos, clique no aplicativo Google Maps e pressione o ícone de localização — é basicamente um círculo com outro dentro. Pronto! O local em que você parou é mostrado na tela de forma rápida e simples. Aplicativos como o Waze também são uma opção.

Preciso chamar um socorro ou guincho?

Bom, agora que o carro já está em um local seguro, você sabe qual é a sua localização e tudo está bem sinalizado, chegou a hora de chamar o guincho. Muitas seguradoras disponibilizam esse serviço e, em vários casos, ele é gratuito.

Porém, se você não tiver seguro, é possível acionar o guincho da concessionária que administra a via, se estiver em uma rodovia. Agora, se o problema for em uma rua, é possível usar aplicativos como o “Cadê Guincho” para conseguir auxílio de forma rápida e simples.

Preciso esperar?

Chamou o socorro? Ótimo, agora é só esperar. Procure por um local seguro e aguarde que o socorro chegue. Se possível, evite ficar dentro do carro — além de ser um risco em caso de acidentes, isso aumenta a possibilidade de um assalto, uma vez que você pode não perceber alguém se aproximando.

É importante que você não deixe o local ou se afaste muito e, além disso, como dissemos, não tente fazer nenhum tipo de conserto. Se todos os passos forem seguidos, a possibilidade de ter mais problemas e transformar um passeio em uma baita dor de cabeça é reduzida a praticamente zero.

Como evitar esse tipo de situação?

Será que tem como evitar esse tipo de situação? Não é preciso esperar a quebra do veículo para fazer algo. Por meio da manutenção preventiva é possível prever problemas futuros, ou seja, quebras inesperadas nos momentos mais inconvenientes possíveis.

Outro detalhe é em relação à revisão de férias. Se você for viajar, leve o veículo para uma inspeção mais completa em busca de problemas ainda em estágio inicial. A suspensão, por exemplo, costuma dar sinais de que algo está errado antes da quebra do carro. Vamos ver quais outros sintomas o automóvel pode apresentar?

Quais sinais precisam ser observados

Um dos maiores motivos de paradas em rodovias é o carro fervendo — devido ao aquecimento excessivo do motor — ou problemas na bateria. Em ambos os casos, é possível antecipar a quebra observando as luzes no painel. Além desses dois itens, falhas nos freios, injeção eletrônica e air bags também podem ser visualizadas.

Mas também é possível antecipar problemas mais sérios observando os sinais mecânicos que o carro dá. Trepidações no volante em alta velocidade ou barulhos nas rodas podem indicar problemas na direção, pneus, rolamentos, falhas em componentes da suspensão, entre outros. Sempre que perceber que algo está diferente, procure o seu mecânico de confiança.

O carro quebrou? Bom, agora que você já viu todas as dicas que demos, fica mais fácil passar por essa situação. Contudo, lembre-se de que a melhor maneira de evitar dores de cabeça é por meio da manutenção preventiva. Mantenha o veículo sempre em ordem e não deixe que seu passeio vire um pesadelo.

Passou por uma situação de carro quebrado ou quer acrescentar alguma coisa? Deixe seu comentário e compartilhe as suas experiências!

Powered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe um comentário