Extintor de incêndio para carros: é obrigatório ou não?

4 minutos para ler

Em 2015, o Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) removeu a obrigatoriedade do extintor de incêndio para carros. Mas afinal, será que ter esse item é importante, ainda que isso seja opcional? Muita gente ainda tem essa dúvida e vamos solucioná-la de uma vez por todas.

Ao longo deste post, você vai entender qual é a real necessidade do extintor de incêndio, o porquê de ele ter deixado de ser obrigatório e muito mais! Venha conosco!

Extintor de incêndio para carros: ter ou não ter?

Uma coisa é certa: mesmo não sendo obrigatório, muitos motoristas mantêm o extintor de incêndio em seus carros. Desde que o item passou a ser opcional, muita discussão foi gerada. Os bombeiros e órgãos ligados ao resgate e salvamento sempre foram a favor da obrigatoriedade, alegando que o equipamento é capaz de salvar vidas.

Por outro lado, algumas estatísticas apontam que em menos de 3% dos acidentes de trânsito o extintor de incêndio é usado. É verdade que você não será multado pela falta do item, mas será que ele realmente não é importante? Só para se ter uma ideia, em 2018, foram mais de 69 mil ocorrências apenas em rodovias federais. Isso significa que pelo menos 2 mil motoristas precisaram do equipamento.

Por que ele deixou de ser obrigatório?

De acordo com o CONTRAN e os órgãos que defendem a desobrigação em usar o extintor de incêndio para carros, os veículos atuais têm recursos inovadores que protegem os ocupantes e previnem situações em que o item teria de ser usado, como o corte automático do combustível em caso de acidente.

Outra questão alegada é o despreparo dos motoristas na utilização do equipamento. Segundo o CONTRAN, isso pode ser tão perigoso quanto o próprio incêndio — em alguns casos, até mais prejudicial ainda. Contudo, a discussão sobre a obrigatoriedade do extintor de incêndio parece estar bem longe do fim.

No mesmo ano em que o item deixou de ser obrigatório, foi criado um projeto para que o processo fosse revertido. Após alguns longos meses de discussão e muitas vitórias, a matéria está sendo discutida no Senado.

De quanto em quanto tempo a troca tem de ser feita?

Uma coisa é certa: independentemente de ser obrigatório ou não, é preciso ter atenção ao prazo de validade do produto. Assim como manter a manutenção do carro em dia, essa prática também é fundamental — afinal, de nada adianta ter o equipamento se ele não funciona direito, não é mesmo?

Desde 2009, o modelo empregado nos carros é o ABC, mais eficiente no combate às chamas, principalmente quando em tecidos e madeira. Esse tipo de extintor tem validade de 5 anos. Também é importante fazer a troca caso o equipamento seja utilizado, ainda que tenha algum material no cilindro.

Como e quando usá-lo?

Outra questão importante é quando e como usar o extintor. Ele é recomendado para pequenos focos gerados durante um acidente de trânsito, por exemplo. Independentemente da causa, esse item não deve ser utilizado em grandes incêndios. Caso esteja diante dessa situação, saia de perto do carro, pois, do contrário, você estará se colocando em risco.

O procedimento para usar o extintor é bem simples. Basta remover o lacre de segurança, direcionar o bocal de saída do cilindro para o foco de incêndio e apertar o gatilho de disparo. Porém, existe um detalhe importante. Se o fogo começar no motor do carro, não abra o capô, pois o oxigênio aumenta as chamas e você pode se ferir gravemente.

Seja obrigatório ou não, o extintor de incêndio para carros não é um item tão caro e, como você viu, ele pode ser necessário em alguns casos. Por isso, a sua decisão em ter esse equipamento precisa levar em conta todos os riscos envolvidos. Quer uma dica? Não economize com segurança!

Aproveite e siga nossas redes sociais, que estão recheadas de conteúdos como este. Estamos no Facebook, Instagram, Twitter e Youtube!

Você também pode gostar

Deixe um comentário