Entenda como agir em casos de acidente de carro (com e sem vítima)

Acidente de carro
6 minutos para ler

Infelizmente, o trânsito brasileiro ainda não é um meio livre de incidentes. Afinal, a intervenção humana adiciona imprevisibilidade nos deslocamentos, permitindo que problemas aconteçam. Pensando nisso, elaboramos este post para falar sobre o que fazer em um acidente de carro.

Esse é um tema polêmico, mas fundamental ao preparo de qualquer motorista, pois garante uma resolução pacífica, ágil e transparente. Sendo assim, reunimos as três principais situações nesse contexto, orientando nossos leitores nos cenários em que se é vítima, causador e/ou quando existem feridos. Para descobrir mais, não deixe de acompanhar!

Veja também:

> Ponto cego do retrovisor: conheça os 7 cuidados que você precisa tomar!

7 dicas essenciais para vender seu carro rapidamente

> Multas de trânsito: veja 11 infrações que você não conhecia!

Os riscos inerentes ao trânsito

Não importa o quão cuidadoso e responsável você seja, o simples ato de conduzir já o expõe aos riscos desse ambiente. Talvez pense que estamos sendo fatalistas com essa afirmação, pois na maioria das vezes, você sai de casa e faz os seus deslocamentos sem nenhuma interrupção desagradável, não é mesmo?

Pois bem, o problema não está no cotidiano natural das coisas, mas sim naquele pequeno 1% que, por uma série de razões, pode fazer com que você cause ou sofra um acidente. É por conta disso que todos devemos estar preparados para lidar com uma situação como essa, reconhecendo com humildade que podemos errar ou simplesmente dar azar.

Afinal, o envolvimento em um acidente costuma ser um momento caótico, pois logo após a batida o mundo parece desabar sobre os seus ombros, com inúmeros questionamentos.

  • Estão todos bem dentro do meu veículo?
  • A pessoa do outro veículo está bem?
  • Será que o carro deu perda total?
  • O que eu devo fazer agora?

Além dessas questões, o nosso cérebro é bombardeado com uma série de preocupações paralelas, que vão do medo, receio e ansiedade até o estresse com todo o abalo que você pode sofrer em função desse acidente — seja profissional, financeira ou psicologicamente. Por isso, é bastante comum que em meio a esse turbilhão de pensamentos, alguns condutores entrem em pânico, perdendo a capacidade de agir de forma racional.

É justamente aqui que se deve estar preparado, garantindo que ao menos você seja o elo forte da situação, facilitando a resolução do problema e contornando a ansiedade dos envolvidos. Sabendo o que fazer, você acabará tomando uma postura cidadã automaticamente, dialogando, solicitando socorro e provendo assistência emocional para quem precise.

O que fazer na resolução de um acidente de carro

Primeiramente, devemos considerar que o acidente não tenha sido grave, pois você está em condições para sair do carro e discutir a resolução. Nessa situação, é importante saber que existe uma ordem de procedimentos a serem tomados, garantindo a integridade do máximo de pessoas envolvidas.

Existência de vítimas

Por conta disso, a primeira etapa após um acidente é marcada pela verificação de feridos. Comece pelo seu carro, identificando se algum de seus acompanhantes está lesionado. Depois, vá até o outro veículo e faça o mesmo. Caso existam feridos, você já pode ligar para o número de emergência, informando a quantidade de pessoas que precisam do atendimento médico.

Inclusive, é importante frisar a obrigatoriedade da solicitação do resgate a cargo de todo motorista em um acidente. Como orienta o Código de Trânsito Brasileiro no Artigo 176, a omissão de socorro configura infração gravíssima, acarretando 7 pontos na CNH, multa de R$293,47 e suspensão da habilitação. Além disso, a omissão também pode ser utilizada para reforçar o argumento jurídico de uma vítima que tenha sido ignorada.

Depois de solicitar o resgate, o condutor consciente deverá sinalizar o local do acidente, evitando o engavetamento de novos veículos na situação. Como a sinalização é realizada logo após o a contagem de vítimas e pedido de socorro, não há a necessidade de deslocar os veículos envolvidos. Essa decisão será tomada após a chegada do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar.

Isso acontece dessa maneira porque envolve a situação delicada das vítimas — nesse momento, qualquer movimentação pode fazer com que um ferimento aumente em intensidade ou dor. Por isso, o condutor responsável pela resolução deverá dar amparo emocional às vítimas ainda no interior dos veículos, até que a equipe especializada ao resgate chegue e assuma o caso.

Ausência de vítimas

Felizmente, não são todos os acidentes que geram feridos. Sendo assim, depois de identificar a inexistência de vítimas, você deverá trabalhar, junto com o outro condutor, na resolução do problema. Tudo começa pela desobstrução da via — sendo possível, você deverá deslocar o seu veículo ao acostamento, utilizando o triângulo para sinalizar o acidente. Essa prática é fundamental para garantir a fluidez do trânsito.

Mas nem sempre será possível movimentar o carro, devido a problemas mecânicos ou estruturais. Nesses casos, é necessário chamar um guincho para realizar a remoção do veículo e desbloquear o trajeto o quanto antes. Aqui, é importante conhecer as penalidades por não remover o veículo da via, que é uma infração média, custando R$130,16 e 4 pontos na CNH (Artigo 178 do CTB).

Depois do deslocamento, os envolvidos devem trocar informações pessoais, veiculares e contextuais, como telefone de contato, placas e modelos dos veículos, hora e local do acidente. Caso não haja um consenso da culpa, é fundamental que as duas partes se equipem de provas e informações, tirando fotografias do acidente e dos danos causados.

Feito isso, os envolvidos poderão se deslocar até uma delegacia da Polícia Militar para preencher o Boletim de Acidente de Trânsito, relatando toda a situação. A emissão desse boletim também gera uma versão online, que poderá ser utilizada na comprovação do ocorrido às seguradoras (caso você tenha um seguro automotivo), garantindo a indenização e resolução financeira do problema.

Como vimos, é essencial que os condutores mantenham a tranquilidade durante esses incidentes, pois apenas assim que será possível exercer uma postura cidadã, oferecendo socorro e suporte para todos os envolvidos.

Agora que você conhece os principais procedimentos a serem tomados após um acidente de carro, aproveite para reforçar o seu preparo no tema, descobrindo as melhores práticas ao transportar pets no seu automóvel!

Você também pode gostar

Deixe um comentário