Como restaurar carros antigos: conheça as boas práticas

como-restaurar-carros-antigos
8 minutos para ler

Se você quer se destacar como mecânico de automóveis e dar um salto em sua carreira, saber como restaurar carros antigos é uma ótima opção. Afinal, esse é um mercado ainda restrito e que tem crescido, ou seja, existe espaço para novos profissionais que tragam serviços de qualidade. Porém, é preciso ter atenção a alguns detalhes.

Neste texto, vamos mostrar como anda esse mercado, dar algumas dicas para quem quer aprender como restaurar carros antigos e muito mais!

Leia também:

O mercado de restauração de carros antigos

É provável que você já tenha visto e, até mesmo, ido a um dos famosos encontros de carros antigos. Após a década de 1970, muitos clubes destinados a isso foram criados — como o Clube do Fordinho, Fusca Clube e Chevrolet Clube, entre muitos outros — e, com a chegada das mídias sociais, a velocidade de propagação aumentou.

Isso fez com que mais pessoas se envolvessem nesse mundo, o que elevou a procura por esses modelos, bem como por restauradores. Saber como restaurar carros antigos passou a ser o sonho de muitos mecânicos, tendo em vista que o mercado ainda é bem restrito e traz uma boa rentabilidade.

Quem tem um carro antigo é movido, basicamente, por paixão — e dinheiro não costuma ser problema, uma vez que a procura é por qualidade. Porém, esse é um setor bem complexo, que traz clientes muito exigentes e a necessidade de profissionais muito responsáveis. Ou seja, perfeito para você!

O que você precisa saber antes de começar

Contudo, antes de se aventurar, é preciso saber como restaurar carros antigos e o que é necessário para se destacar nesse setor. Uma coisa é certa: dedicação e esforço são fundamentais, mas isso não é nada para um profissional como você, que ama o que faz e tem orgulho da profissão.

Leia muito sobre o assunto

Primeiramente, é preciso ler muito sobre o assunto. Carros antigos têm várias particularidades e estar bem informado é fundamental. Procure conseguir cópias dos manuais técnicos originais e sempre busque bons conteúdos na internet, principalmente na imprensa especializada. Aplicativos de compartilhamento de informações também são fundamentais.

Além do já famoso WhatsApp, perfeito para o compartilhamento de informações, existe o “Carro Antigo“, um aplicativo para smartphones Android que traz muitas informações sobre veículos antigos. Livros também são uma boa opção e, são vários os dedicados ao estudo desse assunto, sempre produzidos por especialistas.

Participe de eventos sobre carros antigos

Mas existem outras maneiras de ficar por dentro de tudo o que acontece no setor dos carros antigos. Lembra-se de quando falamos dos clubes especializados e dos encontros? Eles são ótimos para aprender e, principalmente, formar parcerias, buscar peças e ter contato com novos fornecedores.

Uma das formas de ficar por dentro desses encontros é por meio do site da Federação Brasileira de Veículos Antigos (FBVA). Podemos destacar, ainda, o Brazil Classics Show — que acontece anualmente em Minas Gerais — e o Encontro Brasileiro de Autos Antigos, que terá a sua sétima edição em 2020, na cidade paulista de Águas de Lindóia.

Veja como anda o mercado de peças

Porém, nem sempre dá para conseguir peças para esses veículos durante os encontros — principalmente para os modelos mais raros. Felizmente, contamos com uma boa ajuda: a internet. A pesquisa por peças faz parte da rotina de quem quer aprender como restaurar carros antigos.

Sites como Mercado Livre e Ebay costumam ser boas opções para começar, mas nem sempre as peças são originais, embora existam réplicas com bastante qualidade. Isso pode desagradar alguns clientes e, nesses casos, é preciso buscar outras formas de adquirir esses materiais.

Pesquise sobre a viabilidade de importar peças

Uma delas é a importação. Muitos fabricantes mantêm peças em estoque para automóveis antigos, principalmente os modelos mais procurados. Contudo, elas não costumam estar no Brasil. Por isso, é fundamental conhecer muito bem os processos de importação.

Outro detalhe é o idioma. Na busca por peças, é bastante provável que você encontre informações em inglês ou precise entrar em contato com alguém no exterior. Já pensou em como os outros mecânicos vão ficar ao ver você falando inglês? Essa é uma língua muito útil e é preciso fazer uma forcinha a mais e aprender o quanto antes.

Forme uma rede de parceiros e fornecedores

Mas, por mais que você pesquise e procure, nem sempre vai ser possível encontrar o que precisa. E aí, o que fazer? Para saber como restaurar carros antigos, é fundamental montar parcerias em diversos setores. Existem empresas, por exemplo, especialistas na restauração de painéis, cromados, frisos e lanternas, entre outros.

Ter contato com fornecedores que realizam soldas especiais e confecção de peças em material fundido também é importante. Porém, mais uma vez, a tecnologia está a nosso favor. A impressão 3D, por exemplo, pode facilitar bastante na confecção de alguns itens, trazendo qualidade e rapidez.

Também vale a pena ter no seu smartphone bons aplicativos para mecânicos, que podem ajudar em algumas informações e na organização do trabalho.

Pesquise sobre mão de obra e os materiais necessários

Eis que chegamos a um ponto crucial para os restauradores de carros antigos: contar com profissionais especializados. Lembra-se de quando dissemos que esse mercado era exigente? Conhecimento e capacitação são fundamentais, além de ter as ferramentas certas. E por falar nelas, também existe outro detalhe.

Nem sempre a ferramenta necessária para realizar o serviço num carro antigo existe. Nesse caso, é preciso saber contornar a situação. Muitas vezes, é necessário mandar fazer um equipamento específico, o que aumenta a necessidade de ter uma boa rede de parceiros e pessoas capacitadas próximas.

Esteja atento às particularidades do modelo a ser restaurado

Também já dissemos que, para aprender como restaurar carros antigos, era muito importante ler. Cada serviço é um desafio nesses veículos, afinal, eles trazem as suas particularidades. Na parte elétrica, por exemplo, encontramos sistemas que utilizam baterias de 6V, além de fios revestidos em tecido e caixas de fusíveis em baquelite.

O diagnóstico da suspensão também tende a ser completamente diferente, já que a tecnologia mudou muito com o passar do tempo. Antes de restaurar um carro antigo, é preciso conhecer todos esses detalhes, até mesmo o tipo de parafuso utilizado em determinado ponto.

Faça um orçamento minucioso e verifique se o custo é aceitável

Também é muito importante saber montar um orçamento bem minucioso para apresentar ao cliente. Muitas vezes, o custo do serviço supera o valor do carro e nem sempre o proprietário está disposto a pagar. Mas, como dissemos, esse é um setor movido por paixão.

Há quem faça o serviço, mesmo sabendo desse alto custo. Porém, para que não apareçam despesas extras, que podem reduzir o seu lucro e, até mesmo, impedir a continuidade da restauração, leve tudo em consideração, até as menores despesas.

Invista em cursos de restauração para se especializar

Eis uma das dicas mais importantes: a especialização. Cursos de capacitação são fundamentais para entrar em um setor tão restrito. De que adianta você ter os melhores fornecedores, boas ferramentas e um ótimo espaço, se não conseguir resolver os problemas?

Como dissemos, carros antigos são bastante especiais e trazem muitas particularidades que até mesmo um mecânico gabaritado como você pode não conhecer. Procure por cursos específicos e se destaque em relação aos outros profissionais.

A escola de restauradores

Quer se tornar um restaurador, mas não sabe por onde começar? Fundada em 2012 e localizada na cidade de São Paulo, a Escola de Restauração de Veículos Antigos — admirada e recomendada pela Nakata — traz o curso perfeito. Com duração de três a quatro anos, você aprende tudo sobre a mecânica desses modelos, funilaria, pintura, tapeçaria e até marcenaria, entre outros temas. Tudo isso, dividido em 15 módulos.

Mas, também existem os cursos mais curtos, voltados para quem precisa se aperfeiçoar em uma ou outra área. Eles costumam ser mais compactos — entre 3 e 36 horas —, mas trazem muito conteúdo em formato de palestras e workshops. Especialização em carburadores e funilaria de antigos são apenas alguns dos exemplos.

Dominar a restauração de carros antigos não é uma tarefa fácil. Mas, podemos dizer que, para um profissional apaixonado, como você, o desafio será muito bem-vindo. Além disso, esse é um setor que vem crescendo e costuma trazer ótimos resultados. Não perca tempo: seja um restaurador!

Se você quiser mais dicas, assine a nossa newsletter e fique por dentro do mundo automotivo!

Você também pode gostar

Deixe um comentário