Mecânicos brasileiros no exterior: descubra como é atuar nessa área fora do país

mecânicos brasileiros no exterior
7 minutos para ler

Ah, a vida no exterior! Hoje em dia, são muitas as pessoas que sonham com uma carreira lá fora — o que não seria diferente com os feras das oficinas. Então, pensando em nossos leitores, decidimos ir atrás das informações mais importantes que cercam esse tema.

Neste post, você aprenderá as principais curiosidades antes de tomar uma decisão dessas, entendendo como está o mercado internacional e conferindo como é a atuação dos mecânicos brasileiros no exterior. Então, sem mais demoras, afivele o cinto e nos acompanhe nesta jornada!

Veja também:

Quais são os principais aspectos na experiência de mecânicos brasileiros no exterior?

Em grande parte das vezes, quem deseja sair do Brasil costuma ter bons motivos. Entre eles, podemos lembrar da qualidade de vida, melhor remuneração, tranquilidade e até mesmo a perspectiva de criar uma família sem se preocupar com a segurança pública.

Por todas essas razões, é perfeitamente normal que você pense em trabalhar lá fora, levando consigo os seus sonhos, a sua paixão pela mecânica e até mesmo a sua família.

Recomendamos para você que deseja levar esse sonho em frente que encare essa jornada com muita seriedade, afinco e planejamento. Pois veja, como é natural em qualquer transição de país, você precisará lidar com fatores burocráticos, em uma longa série de vistos e processos até conquistar a merecida cidadania.

Agora, vamos vamos conhecer alguns fatores para ficar de olho antes de bater o martelo nessa decisão!

Remuneração

Como já é de se esperar, os ganhos variam bastante de um país para outro, justamente pela diferença de moeda e as próprias particularidades de cada mercado. Para criar um panorama legal sobre a profissão no exterior, usaremos como exemplo as médias de quatro países. Veja só:

  • consideração 1: todos os valores foram cotados em dólar e convertidos no câmbio dólar/real de R$4,18;
  • consideração 2 : os valores são médias dos salários mensais dos mecânicos nestes países;
  • Estados Unidos da América: US$3.763, equivalente a R$15.729;
  • Inglaterra: US$2.497, equivalente a R$10.437;
  • Portugal: US$1.097, equivalente a R$4.585;
  • Japão: US$3.048, equivalente a R$12.740.

Como podemos ver, todos os países listados oferecem uma remuneração considerável, sobretudo se pensarmos que a média salarial no Brasil fica em torno dos dois mil reais. No entanto, ainda é importante considerar fatores como o próprio custo de vida nessa conta.

Demanda

A demanda é o que determina a necessidade do profissional mecânico nesse mercado. A começar pelo Japão, local em que a indústria da customização e do automobilismo atrai muitas pessoas, principalmente brasileiros, que são tanto entusiastas quanto profissionais.

Em termos de mercado, o Japão tem uma necessidade gigantesca por trabalhadores técnicos, como os mecânicos, por um motivo puramente demográfico. Por lá, a pirâmide etária está bem invertida, com uma população idosa e pouquíssimos novos profissionais sendo inseridos no mercado.

Em Portugal, quase a mesma coisa acontece. População envelhecendo, pouca gente nova, profissionais técnicos escassos e muitos aposentados — tanto portugueses quanto estrangeiros que decidem ir para as terras lusitanas justamente para isso.

Já quanto EUA e Inglaterra, a situação é um pouco diferente. Ambos os países são bem populosos, mas em ambos, a mão de obra qualificada é muito cara — justificando os altos salários. Ainda assim, o serviço técnico não tem profissionais suficientes para toda a demanda.

Por isso, ser um mecânico profissional e devidamente certificado acaba agregando um bocado de pontos no processo migratório. Afinal, você seria um candidato de destaque, sendo considerado um trabalhador qualificado e, portanto, um elemento importante para a manutenção da economia daquele país.

Certificações

Qualificação nunca é demais, não é verdade? Por isso, é importante entender como você pode expandir suas possibilidades, atingindo postos de trabalhos ainda mais qualificados e bem remunerados.

Normalmente, para compor o quadro de mecânicos de uma concessionária licenciada, é muito importante que você tenha pelo menos uma certificação específica em torno do trabalho da montadora. Afinal, até no Brasil as especializações para mecânicos costumam ser exigidas nas oficinas de sedes da Audi, BMW, Jaguar e afins.

Ainda assim, nem Estados Unidos, Inglaterra, Japão e nem Portugal exigem diploma de nível superior para o exercício do trabalho mecânico. No entanto, você está indo para um país diferente. Então, a menos que você seja bem referenciado no primeiro emprego, ter alguma certificação ajudará sim a comprovar sua competência técnica para a vaga.

Idioma

Esse é um ponto fundamental. Ainda que seja possível passar a vida inteira em uma comunidade brasileira dentro desses 4 países, é importante socializar e conviver com a nova realidade, estando junto de todas as demais pessoas dessas nações.

Para isso, a comunicação é determinante. Em Portugal, o fator idioma é mais simples, pois a língua-mãe é a mesma, embora existam diferenças de pronúncia e gramática que você aprenderá com o tempo. EUA e Inglaterra já se apoiam sobre o bom e velho inglês, uma língua universal. Hoje, com as facilidades da internet e dos cursos a distância, feitos pelo computador mesmo, tornou-se mais simples aprender essa língua.

É no Japão em que o problema mora. A barreira idiomática para a terra do sol nascente é absurda, principalmente se formos considerar que tudo é diferente, desde a ordenação de leitura até a grafia do alfabeto e a própria lógica da pronúncia. Mas nada que uma boa dose de persistência e aplicação não resolvam, não acha?

Vantagens e desvantagens: o que considerar em cada país?

Já aqui, temos o tópico mais relativo de todos. Pois todos nós somos diferentes uns dos outros, e o que é bom para um já não é para os demais. Então, o que podemos concluir sobre cada país? Dê uma olhada!

Japão

  • prós: excelente qualidade de vida, organização urbana, remuneração, segurança pública e comunidade automotiva rica e diversificada;
  • contras: maior dificuldade de adaptação cultural, gastronômica e idiomática.

Inglaterra

  • prós: boa qualidade de vida, remuneração e comunidade automotiva vibrante;
  • contras: dificuldade de adaptação gastronômica mediana e clima monótono, predominantemente nublado.

Estados Unidos da América

  • prós: alta qualidade de vida, maior remuneração, comunidade automotiva vibrante, alto potencial de consumo e adaptação cultural mais fácil;
  • contras: maior custo de vida.

Portugal

  • prós: excelente qualidade de vida, adaptação gastronômica fácil, custo de vida relativamente baixo, boa oferta de serviços públicos de qualidade;
  • contras: menor remuneração e comunidade automotiva mediana.

Por fim, vale encerrar com os desafios, que também mudam de pessoa para pessoa. Por exemplo, se você está indo para fazer dinheiro e mandar de volta para família, a própria saudade pode ser um desafio.

Já em outra situação, pode ser que você queira validar o seu diploma de um dos seus cursos por lá e acaba enfrentando alguma dificuldade nisso. Além disso, também vale lembrar o próprio processo migratório, que é sempre complicado, burocrático e delicado.

E aí, você gostou deste artigo sobre a realidade dos mecânicos brasileiros no exterior? Então, aproveite para a espalhar a mensagem entre os seus colegas que estão considerando essa ideia, compartilhando o post nas suas redes sociais!

Você também pode gostar

Deixe um comentário