Como identificar problemas nos coxins do veículo? Saiba aqui!

problemas nos coxins
7 minutos para ler

Entre os inúmeros componentes de um carro, os coxins são alguns dos mais difíceis de se diagnosticar. Provavelmente, você já passou por uma situação assim, ouvindo o relato do cliente e tentando identificar o problema a partir de uma sugestão equivocada.

A grosso modo, nós entendemos que existe apenas uma maneira de facilitar esses procedimentos: conhecendo cada detalhe do componente. Ficando de olho em alguns detalhes técnicos, você conseguirá agilizar esse processo, eliminando os erros no momento da manutenção. Acompanhe esta leitura e aperfeiçoe ainda mais o seu trabalho!

Veja também:

> Sistema de arrefecimento: os cuidados que podem fazer a diferença

> Como identificar as principais falhas das juntas homocinéticas

> Dicas importantes na manutenção do sistema de suspensão

Os coxins dos veículos

Como você bem sabe, os coxins são componentes revestidos por uma forte camada de borracha, que absorve as vibrações de várias partes do veículo. Por conta disso, essas peças são montadas em regiões estratégicas dos automóveis, como no motor, câmbio, caixa de transferência, diferencial e suspensão. Todas essas partes têm um fator em comum: a trepidação.

Na ausência dos coxins, os carros seriam tão desconfortáveis quanto perigosos, já que os componentes internos se chocariam contra a lataria e as peças ao seu redor, ocasionando um desgaste avançado. Mas é justamente pela função do coxim (anti-trepidação) que o seu diagnóstico é uma tarefa tão delicada.

Afinal, a vibração em excesso pode estar sendo causada por uma série de outras falhas, de desajustes no alinhamento ou até problemas mais sérios na bandeja da suspensão. Para todos os efeitos, você, mecânico experiente, precisa se garantir no momento de realizar esse diagnóstico de maneira precisa, pois apenas assim se consegue evitar o avanço do desgaste nos componentes paralelos.

Além disso, também é importante reforçar na memória do seu cliente qual o principal “inimigo” dos coxins: a pulverização do próprio veículo. Produtos químicos como querosene, óleo diesel e demais derivados de petróleo são nocivos à peça, que sofre ataque ao entrar em contato com essas substâncias.

Os principais problemas

A maior dificuldade em identificar problemas nos coxins está nos defeitos apresentados pelo carro. Os sintomas são mistos e, nem sempre são percebidos rapidamente pelo proprietário. Por conta disso, a precisão do seu diagnóstico depende de uma checagem por eliminação, em que você verifica todas as causas possíveis e, por fim, confirma se o coxim é ou não a fonte do problema.

Um carro com coxins danificados poderá apresentar:

  • vibração exagerada, percebida no assoalho, na manopla do câmbio e no motor, mesmo com o veículo parado;
  • emissão de ruídos na parte dianteira do veículo, durante a condução;
  • alavanca de câmbio balançando durante saídas e frenagens;
  • desgaste avançado e/ou irregular entre os quatro pneus;
  • motor muito barulhento, sobretudo nas saídas/arrancadas;
  • instabilidade e trepidação do volante;
  • dificuldade no engate das marchas.

Como podemos ver, esses sintomas contribuem até certo ponto para o diagnóstico, de maneira que você mesmo pode checar cada um deles em uma rápida circulação pela área externa da oficina. Mas você não pode resumir a sua avaliação apenas a isso caso deseje acertar no reparo. Sendo assim, acompanhe as nossas dicas de avaliação para essas peças.

Coxim do amortecedor

Felizmente, esse é um dos componentes que permitem um diagnóstico sem que você desmonte o veículo. Isso acontece porque existe um método bastante eficaz para avaliar a peça, com o carro parado e intacto. Basta seguir os seguintes passos:

  • vá para a dianteira do veículo, abra o capô e fique ao lado do automóvel;
  • posicione a ponta do seu dedo sobre a haste do amortecedor;
  • com a outra mão, passe a exercer pressão sobre o carro, o balançando em um movimento vertical.

Feito isso, você perceberá um dos dois resultados: a haste se movimenta verticalmente, em um movimento cima-baixo sem nenhum desvio, ou se desloca em diversas direções.

No primeiro caso, o coxim ainda está em bom estado, pois garantiu o percurso da haste sem admitir desvios ou folgas. Já no segundo cenário, o coxim está gasto e precisa ser substituído imediatamente — inclusive, para evitar o desgaste de todas as peças e sistemas paralelos à suspensão do veículo.

Coxim do motor e do câmbio

O diagnóstico desses coxins também merece muita atenção. Por isso, apresentaremos um método de verificação que ajudará bastante a identificar problemas, permitindo que você faça um teste preciso, mas sem ter que desmontar o carro. Sendo assim, esse é um método ideal para quando os seus clientes reclamarem de vibração na manopla do câmbio, ruídos em arrancadas e barulheira em excesso. Agora, vamos aos passos:

  • abra o capô, deixando o motor visível;
  • entre no carro;
  • ligue o veículo;
  • engate a primeira marcha;
  • segure o automóvel com o freio de mão;
  • retire o pé da embreagem, como se fosse arrancar;
  • então, você ou alguém que estiver auxiliando deve avaliar o balanço do motor.

Então, será possível perceber um dos dois resultados:

  • o motor está fazendo a trepidação comum;
  • o motor está visivelmente se deslocando do cofre, forçando os coxins.

O segundo caso é o que nos acusa o desgaste nesses componentes, sugerindo sua substituição. É nesse momento que você deve iniciar todo processo de desmontagem do motor, retirando cada um dos componentes que bloqueiam o acesso à peça. Feito isso, substitua os dois coxins, mesmo que apenas um deles esteja quebrado.

Para isso, explique ao cliente que, até certo ponto, não se sabe por quanto tempo esse coxim esteve quebrado. Faça-o entender que, enquanto isso acontecia, os demais coxins estavam trabalhando em sobrecarga para absorver a trepidação extra causada pela quebra. Aqui, é fundamental explicar a importância de garantir um serviço bem-feito, mesmo que leve mais dias para concluir. Assim, ele não terá que retornar em um curto prazo.

Por fim, reforçamos a importância de um diagnóstico correto na realização dos seus serviços. Além de otimizar o seu tempo, esse acerto também é importante para a qualidade dos reparos realizados, que não causarão o desgaste avançado nas peças paralelas aos coxins.

Agora que tal contribuir para a conscientização da sua clientela? Afinal, garantir a informação do consumidor também é importante para a eficiência do seu serviço. Sendo assim, aproveite um conteúdo especial aos proprietários e recomende a eles este artigo sobre como identificar se o coxim do motor está danificado.

Gostou deste texto apontando os principais problemas nos coxins? Então, aproveite o seu interesse no tema para conferir outro artigo técnico, em que ensinamos você a realizar diagnósticos rápidos e precisos dos sistemas de freio!

Você também pode gostar

3 thoughts on “Como identificar problemas nos coxins do veículo? Saiba aqui!

    1. Olá, José!
      Poxa, infelizmente esta pergunta não faz parte da nossa área de atuação, então não podemos te dar uma resposta precisa para tirar a sua dúvida. Nosso conteúdo é produzido por jornalistas especialistas para trazer uma maior e melhor quantidade de conteúdos para nossos leitores.
      Nossa sugestão é de que procure um profissional especializado na área para lhe dar o suporte necessário!

      Muito obrigado pelo contato!

Deixe um comentário