Ponto cego do retrovisor
Segurança

Ponto cego do retrovisor: 7 cuidados que você precisa tomar

COMPARTILHE:

Você já passou pela situação de se assustar com um veículo (seja carro ou moto) passando do seu lado em alta velocidade, sem que você o tivesse visto se aproximar? Muitos acidentes podem acontecer assim, sem que o motorista se dê conta de que havia outro se aproximando.

Nem sempre essas cenas são causadas apenas por imprudência ou falta de atenção. Em muitos momentos os condutores podem ser vítimas do ponto cego do retrovisor, e situações assim são bastante perigosas.

Quer saber como se proteger de forma adequada? Fique atento aos cuidados que você precisa ter para reduzir os riscos e se sentir mais seguro na direção!

1. Entenda o que é o ponto cego

O termo é usado para se referir aos locais do veículo onde o condutor não possui visibilidade externa. Em um carro, essas áreas são as duas colunas frontais que sustentam o teto, as duas laterais e as duas traseiras. Além disso, o mau posicionamento dos retrovisores internos e externos também pode criar outros pontos cegos.

Em motos, o ponto cego é gerado pelo próprio capacete, que limita a visão periférica do motociclista. Já em veículos grandes, como caminhão e ônibus, a cegueira é gerada pela posição elevada de dirigir, que dificulta a visibilidade dos automóveis menores ao seu redor.

2. Ajuste o banco do motorista

Antes de dirigir, você deve ajustar o banco de maneira que permita alcançar os pedais e manter os joelhos um pouco flexionados, não totalmente estirados. O mesmo vale para os braços: eles devem estar com uma leve flexão. Essa posição é a mais segura para garantir a reação em momentos de emergência. Outro ponto importante é o ajuste do conforto. Além de estar na posição correta de dirigir, é preciso estar confortável.

3. Posicione bem os retrovisores

A principal razão da falta de visibilidade é o mau posicionamento dos retrovisores. A função deles é exatamente fazer com que o motorista enxergue o máximo possível da via, por isso é importante saber regulá-los.

Depois de estar na posição correta para dirigir, você pode regular os espelhos. O retrovisor externo esquerdo, que é do motorista, deve dar a maior visibilidade externa possível. Comece a movê-lo para a esquerda e pare quando a carroceria sumir da imagem. Essa é a posição correta, pois, dará a você a visão máxima do que está acontecendo desse lado do veículo.

O espelho retrovisor externo do lado direito também deve ser ajustado de modo que você veja o mínimo possível da lateral do seu carro. Mecha-o para a direita até que a lataria do carro esteja quase desaparecendo do espelho, mas não a retire completamente do reflexo. Nessa posição você consegue ter a melhor visão da via e ainda pode se situar na hora de fazer uma baliza.

Por fim, o retrovisor interno do carro deve ser ajustado para que o condutor veja toda a área do para-brisa traseiro. Assim, você consegue visualizar tudo o que acontece atrás do veículo. É importante lembrar que esses ajustes diminuem os pontos cegos, mas não acabam completamente com eles, já que o carro tem estruturas que bloqueiam a visão.

4. Aposte em retrovisores auxiliares

Para diminuir ainda mais o ponto cego do retrovisor, é possível adicionar espelhos convexos ao carro. Eles são redondos e têm um formato diferente, voltado para frente. Essa curvatura amplia a visão e, por isso, pode permitir que você enxergue mais elementos da estrada. Esses espelhos são muito usados em veículos grandes, como caminhões e ônibus, que tem mais dificuldade para ver carros menores e outros detalhes das ruas.

É importante ressaltar que o uso do espelho convexo diretamente no retrovisor pode se enquadrar em uma infração de trânsito, pois é considerado obstrução do item de segurança. Uma boa opção é instalá-los dentro do carro, próximo ao retrovisor.

5. Tenha cuidado com veículos grandes

Evite dirigir ao lado de caminhões e ônibus. O tamanho deles atrapalha sua visibilidade e pode esconder alguns perigos da via. Além disso, os motoristas que dirigem esses veículos podem ter dificuldade em enxergar seu carro, trazendo riscos de acidente caso vocês trafeguem lado a lado. Se você precisar ultrapassar, faça sempre pela esquerda.

Como a maioria dos caminhões não tem espelho retrovisor interno, as fabricantes adotam retrovisores panorâmicos e, em alguns veículos mais modernos, são utilizados sensores e alertas para pontos cegos. Essas são algumas saídas para melhorar a dirigibilidade.

6. Aumente a atenção na troca de faixa

A maioria dos acidentes ocorre quando se tenta mudar de faixa. Muitas vezes, uma olhada rápida no retrovisor pode enganar. Por isso, depois de sinalizar a mudança, tenha muita atenção na visibilidade e, quando tiver segurança, vá para a outra faixa de maneira rápida. Lembre-se de que ligar a seta não garante a passagem, por isso, não coloque o bico do carro sem ter certeza de que não há veículos ao seu lado.

É preciso ter cuidado principalmente com motociclistas — eles são os que mais correm risco por causa de pontos cegos de carros ou veículos maiores. Como as motos são pelo menos 4 vezes menores, existe uma tendência maior de sumirem do retrovisor. Esse é um problema comum nos centros urbanos, onde são formados corredores de motos. Quando o motorista do carro precisa mudar de faixa, é necessário ter atenção redobrada.

7. Considere o uso de sensores

A tecnologia oferece muitas soluções no mercado automotivo. Atualmente há sensores que ajudam os motoristas a superar as dificuldades dos pontos cegos. Um sensor na lateral do carro é capaz de “enxergar” no ponto cego e avisar você se há algum veículo ali. Quando a seta é ligada para a mudança de faixa, o mecanismo detecta a presença de outros carros. Infelizmente, tecnologias desse tipo ainda são caras, estando disponíveis em carros mais luxuosos.

Mesmo que não seja possível acabar definitivamente com o ponto cego do retrovisor, com nossas dicas você vai conseguir dirigir com mais segurança. O bom posicionamento dos espelhos e a atenção ao volante são fundamentais para garantir que a falta de visibilidade não cause acidentes!

Que tal dividir essas informações para seus amigos? Compartilhe este texto nas suas redes sociais!

COMPARTILHE: