vida útil da bateria
Componentes e Peças

Qual a vida útil da bateria do carro? Veja se é possível estender!

COMPARTILHE:

A bateria do carro é um item essencial para o funcionamento de toda a parte elétrica. É possível considerá-la como o coração do sistema elétrico do veículo. Sem ela, não é possível dar a partida ou acender as luzes.

É importante que os proprietários cuidem do sistema elétrico do seu veículo. Apesar de esse componente não precisar de manutenção, o motorista deve ficar atento e seguir algumas orientações para estender a durabilidade da bateria do carro, que depende dos seguintes fatores:

  • fabricante da bateria;
  • características do carro;
  • clima da região em que o carro circula.

Acompanhe o nosso post e saiba tudo sobre a bateria e os cuidados necessários!

O que é a bateria do carro?

A bateria é um equipamento armazenador de energia. Em sua constituição interna existem placas carregadas positivamente e placas carregadas negativamente, além de um separador entre as placas, que permite a passagem de corrente elétrica e evita curto-circuito.

A bateria tem também óxido de chumbo, que é uma mistura de ácido sulfúrico e água, além do eletrólito, mais conhecido como ácido de bateria. Para isolar esses componentes, a bateria é protegida do meio externo por uma carcaça plástica.

É essa composição de elementos que permite que a bateria armazene energia e seja carregada pelo alternador quando o carro entra em funcionamento.

Qual é a função dela?

A principal função da bateria é armazenar energia para fazer o carro funcionar. Ela fornece energia suficiente para acionar o motor de partida do carro. Quando o veículo está ligado, a bateria é carregada pelo alternador e, assim, pode continuar a fornecer energia para outros componentes elétricos, como os faróis, ar-condicionado, limpador de para-brisa e tudo que seja de funcionamento elétrico.

Mesmo quando o carro está desligado, alguns componentes permanecem em stand by, como a central eletrônica, o alarme e alguns rádios ou rastreadores. Esses equipamentos eletrônicos precisam de uma corrente para continuarem em funcionamento mesmo com o carro desligado — e essa energia também vem da bateria.

Por fim, uma função secundária, mas de extrema importância, é proteger todo o sistema interno do veículo contra ações mecânicas externas prejudiciais.

Qual é a vida útil da bateria do carro?

A vida útil de uma bateria é relativa. Ela depende do fabricante — produtos mais baratos têm componentes de menor qualidade, o que impacta a durabilidade — e das características do carro — se há muitos componentes eletrônicos, a bateria, provavelmente, vai durar menos.

O clima também influencia a vida útil da bateria. Em dias chuvosos ou nublados as pessoas acendem o farol mais cedo e ligam os limpadores do para-brisa com mais frequência. Isso pode encurtar a durabilidade da bateria do carro.

Mas, em geral, baterias de qualidade mediana duram de dois a dois anos e meio, enquanto as de melhor qualidade podem durar entre quatro e cinco anos. Isso, claro, se o motorista tomar alguns cuidados para que não haja problemas com esse componente.

Como garantir a qualidade da bateria?

A aquisição de um produto de boa qualidade é muito importante, pois você garante que ele dure mais tempo e cumpra melhor a sua função. Por isso, procure por marcas renomadas no mercado.

Se você não conhece as fabricantes, o preço da bateria pode ser um bom indicativo. Uma bateria de qualidade de 60 Ah para um carro popular custa, geralmente, entre R$ 300,00 e R$350,00. Enquanto isso, baterias de marcas com qualidade inferior costumam custar menos de R$ 200,00. Se o preço for muito baixo, desconfie.

É possível dar carga na bateria?

Quando a bateria descarrega, é sinal de que ela chegou ao fim de sua vida útil e que é preciso trocá-la. Alguns profissionais têm o costume de recomendar dar uma carga nela, mas esse procedimento surte efeito durante pouco tempo e não é indicado.

Em caráter de emergência, se você for pego de surpresa enquanto estava dirigindo, é possível dar uma carga na bateria para que você possa chegar em casa ou em uma oficina. É a famosa “chupeta”: procedimento em que a bateria de outro veículo é utilizada para carregar a sua.

Mas essa é uma ação emergencial. Você deve dirigir com cuidado, pois se o motor morrer no caminho para a oficina, você pode não conseguir dar a partida novamente. Além disso, a chupeta não é uma ação recomendada porque prejudica a bateria que foi utilizada para dar a carga.

Como identificar problemas na bateria do carro?

É possível saber se a sua bateria está no fim da vida útil. Um dos sinais é a dificuldade ou demora para que o carro ligue pela manhã. Alterações na intensidade da iluminação do carro também podem ser indícios de problemas na bateria. Outro sintoma é a oxidação dos terminais da bateria — quando isso acontece o alternador não consegue carregar a bateria corretamente.

Procure um mecânico sempre que você perceber algum defeito na bateria do carro. O profissional poderá fazer um teste do sistema de carga da bateria e sanar o problema o mais rápido possível. Dessa forma, é possível evitar que o sistema elétrico do veículo seja prejudicado.

Como ampliar a vida útil da bateria?

Verifique a capacidade da bateria

Ao projetar um carro, a fabricante de automóveis define toda a parte elétrica e eletrônica e, só depois, decide qual tipo de bateria vai alimentar o sistema. Assim, se você comprou um carro sem ar-condicionado, som ou alarme, é provável que a bateria dele seja pequena.

Sendo assim, caso você instale no veículo um alarme, som com mais potência, vidros elétricos, entre outros acessórios adicionais, ela pode ficar sobrecarregada e ter a vida útil diminuída.

Antes de fazer qualquer modificação no seu carro, observe a capacidade suportada pela bateria e pelo alternador. Se for necessário, leve o carro até um mecânico de sua confiança e efetue a troca por outra mais potente.

Desligue os equipamentos do carro

O momento em que a bateria do carro é mais necessária é aquele quando você vira a chave para ligar o veículo. Por isso, antes de dar a partida, é muito importante desligar todos os itens que dependem dessa peça para funcionar.

Deixar as luzes acesas, o ar-condicionado, a central multimídia, os faróis, o desembaçador de vidros e o som ligados nesse momento sobrecarrega a bateria e prejudica sua durabilidade. Mesmo nos veículos mais sofisticados, que contam com o sistema de acendimento automático dos faróis, o ideal é desligá-los manualmente antes de girar a chave.

Ao sair do carro, outra ação importante é lembrar de desligar o som e remover a sua parte frontal para que ele não consuma corrente em stand by. O mesmo vale para as luzes; esquecê-las acesas após já ter interrompido o funcionamento do automóvel consome energia.

Cuide corretamente dos terminais

Existem no mercado capinhas de plástico para os terminais da bateria. Elas ajudam a evitar o contato com objetos metálicos que podem gerar faíscas e causar um curto-circuito inesperado.

Outro cuidado é manter os terminais sempre limpos. Com o tempo, eles acumulam resíduos resultantes da oxidação dos materiais existentes na ponta dos conectores. Essa sujeira tem a cor esverdeada, muito fácil de reconhecer ao inspecionar os itens.

Para manter os terminais limpos, você pode utilizar uma mistura de água com bicarbonato de sódio na área comprometida. Ela forma uma espuma que deve ser retirada posteriormente, secando bem o local. Lembre-se de sempre fazer isso com o carro desligado.

Coloque o motor para funcionar

A bateria trabalha em stand by até mesmo quando o carro está parado na garagem. No entanto, a sua eficiência é maior quando o motor está ligado, já que a geração de energia acontece enquanto o automóvel está funcionando. Por isso, uma vez por semana, pelo menos, deixe o veículo ligado por 5 minutos para ampliar a durabilidade da bateria.

Cuide da manutenção do alternador

Também pode acontecer de o carro não ligar devido a um problema no alternador. Esse componente fica instalado próximo ao motor e, além de fornecer a corrente elétrica para fazer cada equipamento elétrico do veículo funcionar, é responsável por manter a carga da bateria do carro.

Para não ter nenhuma surpresa com o mau funcionamento da peça e evitar dores de cabeça, faça sempre a manutenção preventiva do alternador. Com a ajuda de um profissional de confiança, certifique-se de que ele esteja trabalhando da forma adequada. O aconselhável é verificar o estado do item a cada seis meses.

Desconecte os terminais

Essa dica vale para os donos dos carros que permanecem mais na garagem do que nas ruas, ou para aqueles que, eventualmente, precisam viajar e deixar o veículo parado por mais de uma semana. Nestas situações, é aconselhável desconectar os cabos da bateria para evitar que ela descarregue.

A recomendação é remover, pelo menos, o terminal positivo para prevenir que a vida útil da bateria seja prejudicada. Se os dois cabos forem desconectados, o primeiro a ser ligado deve ser o terminal negativo; logo após, o positivo.

Evite conexões externas

Para manter a qualidade desse componente evite realizar conexões externas nos terminais da bateria. Conectar lâmpadas ou outros dispositivos carregáveis não é aconselhável. Entretanto, se você precisar mesmo fazer essas conexões, faça enquanto o carro estiver ligado, pois, assim, a carga extra será reposta pelo alternador.

Adquira um auxiliar de partida

O auxiliar de partida ajuda a evitar que você fique em situações perigosas no trânsito caso a bateria acabe de forma inesperada.

Esse equipamento tem como função promover uma carga para a bateria, tornando desnecessário o procedimento da “chupeta”. Mesmo se você não puder comprar esse equipamento, mantenha sempre um cabo extra de ótima qualidade no porta-malas.

Quais tipos de bateria existem?

Você precisa trocar a bateria do seu carro, mas não sabe por onde começar? Existem duas informações que são essenciais para definir o melhor modelo para o seu automóvel: tipo e tamanho. Cada veículo tem um tipo de terminal e a peça precisa ter o encaixe adequado. Caso contrário, ela pode apresentar mau contato e prejudicar o funcionamento do veículo.

Além disso, as baterias têm diferentes especificações de altura e largura:

  • veículos de porte grande: tamanho 65, com terminais na parte superior;
  • veículos compactos ou de porte médio: tamanho 75, com terminais laterais;
  • veículos populares: tamanho 24/24F, com terminais na parte superior;
  • veículos de grande porte: tamanho 34/78, com duplos terminais;
  • veículos desportivos: tamanho 35, com terminais na parte superior — muito comum em modelos de montadoras japonesas.

Também é preciso estar atento à amperagem — a maioria dos produtos que estão disponíveis no mercado contém 60 amperes. Outra informação imprescindível é se a bateria é selada ou não selada.

A primeira versão não exige muitos cuidados, tem uma vida útil mais longa, mas não pode ser recarregada. Já a segunda precisa de uma manutenção preventiva constante, que deve ser realizada por um profissional especializado, para garantir o seu bom funcionamento — já que são modelos mais antigos e o nível de água pode sofrer alteração, sendo necessária uma reposição frequente. Ao contrário da bateria selada, a não selada pode ser recarregada.

Qual tipo de bateria escolher?

É importante lembrar que todas as baterias devem seguir as exigências do Inmetro  — ter o Selo de Identificação da Conformidade impresso de forma clara e legível no rótulo da bateria, com o logotipo do Inmetro, identificação do Organismo de Certificação de Produtos e o número de registro da família do produto. Até mesmo as peças que vêm em embalagens precisam seguir as mesmas regras.

Antes de tomar qualquer decisão de compra, consulte sempre o manual do proprietário. Nele você encontra o tamanho adequado e todos os detalhes necessários para adquirir o item com mais segurança, evitando dores de cabeça e o investimento em um produto que não atende a demanda que o seu veículo exige.

Prefira as baterias com a maior amperagem por hora possível, sempre de acordo com o tamanho específico para o seu automóvel. Se você tiver incluído acessórios extras no seu carro, como ar-condicionado ou som de alta potência, uma peça com mais capacidade é a melhor opção para evitar sobrecargas e assegurar o bom funcionamento da parte elétrica.

Observe os termos de garantia e o tempo. Sempre pergunte ao vendedor se o produto oferece garantia de sobrecarga, quais problemas anulam a garantia e se o produto é original de fábrica. As respostas para essas questões são essenciais para ajudá-lo a obter uma bateria de qualidade superior.

Escolha baterias fabricadas, no máximo, 6 meses antes da data da compra. Essa é uma forma de garantir que a peça é realmente nova. Para conferir esse detalhe, verifique na lateral da peça a data em que foi embalada.

Saiba que o preço das baterias pode variar muito e nem sempre as mais caras são as melhores. Por isso, pesquise sempre as marcas mais conhecidas, as mais recomendadas do mercado e a avaliação de outros consumidores.

A decisão de qual bateria adquirir para o seu veículo é simples, mas envolve seguir todas as dicas corretamente e escolher lojas e profissionais de confiança para concretizar o negócio.

Gostou de saber mais sobre a durabilidade da bateria do carro e como ampliar a sua vida útil? Deixe um comentário!

Componentes e Peças
COMPARTILHE: