O motor de partida está arrastando? Saiba identificar os sinais

motor de partida arrastando
8 minutos para ler

Ligou o seu carro (ou moto) e percebeu que o motor de partida está devagar ou fazendo uns barulhos estranhos? Fique calmo! Esses defeitos costumam ter soluções muito mais simples do que você imagina. Mas é importante procurar um bom especialista para verificar o que realmente está acontecendo.

Preparamos este texto para que você entenda as possíveis falhas que podem fazer um motor de partida “arrastar”, além de conhecer os seus principais componentes e como deixar sempre tudo em ordem. Confira!

Veja também:

Como funciona o sistema de partida

Podemos dizer que o motor de partida (também chamado de motor de arranque) é um dos itens mais importantes de um veículo. Ele transforma a energia elétrica em mecânica, possibilitando o movimento inicial do motor principal de combustão interna.

O componente tem um eixo com uma pequena engrenagem na ponta (o pinhão), que é o responsável pela conexão com outra engrenagem muito maior (a cremalheira), instalada no volante do motor.

Quando giramos a chave (ou usamos o botão da partida), a eletricidade da bateria chega ao relê solenoide (conhecido como “automático” ou “chave magnética”), que realiza um efeito de alavanca no impulsor. Dessa forma, o pinhão que fica em sua ponta acopla na cremalheira do motor e inicia o seu movimento.

Fatores que influenciam o desempenho

Talvez você nunca precise trocar, ou até mesmo consertar, o motor de partida. No entanto, é muito difícil estimar o prazo de vida útil desse componente, tendo em vista que existem diversos fatores que podem influenciar o seu desempenho e durabilidade.

Entre os principais cuidados a serem tomados, está a manutenção preventiva de todo o sistema e também os hábitos de direção. Por outro lado, como é um item que consome muita energia, algumas falhas podem ser provocadas por outras peças elétricas, não tendo nenhuma ligação direta com o arranque.

Vamos conferir alguns exemplos de outros problemas que podem influenciar o funcionamento ou a durabilidade dessa peça, para ficar mais claro? Sempre leve em consideração numa avaliação preliminar:

  • Tempo de uso: quanto mais partidas, maior o desgaste do motor de arranque, o que é algo normal;
  • Manuseio da chave ou botão: é importante não forçar. Assim que o veículo começa a funcionar, deixe de acionar o sistema. Os excessos podem superaquecer ou até queimar alguns componentes;
  • Estado da bateria: se não estiver funcionando direito, o arranque será imediatamente afetado, por ser um dos maiores consumidores de eletricidade do veículo;
  • Alternador (ou magneto das motos): fique atento que a bateria fraca, muitas vezes, é apenas um reflexo de falhas na geração de energia. Esses defeitos podem ser eletroeletrônicos ou até mecânicos, como um desgaste acentuado no sistema de correia, polias e tensionador que costuma ser usado nos carros;
  • Fiação: é preciso investigar também se não existem fios defeituosos, algum curto-circuito, folgas ou impurezas acumuladas nos conectores e terminais;
  • Temperatura ambiente: em cidades com uma média de temperatura anual mais baixa, é natural que a partida seja um pouco mais difícil e a durabilidade de todo o sistema fique reduzida;
  • Cuidados com o combustível: tenha sempre muito cuidado na escolha dos postos onde abastece, para fugir das adulterações. Nos carros flex que usam o “tanquinho”, nunca deixe a gasolina acabar ou ficar velha;
  • Falta de manutenção: para um veículo ter uma partida perfeita, é fundamental fazer uma manutenção preventiva e caprichada nas velas, cabos, bobinas, filtros e no sistema de alimentação (seja carburador ou injeção eletrônica).

Os componentes do motor de partida

De uma forma geral, essa peça é muito parecida com outros motores elétricos comuns de corrente contínua. Conta apenas com alguns itens específicos para realizar a conexão com o motor a combustão. Suas principais partes são:

  • Carcaça;
  • Escovas;
  • Impulsor;
  • Pinhão;
  • Solenoide;
  • Induzido.

Inspeção das partes e seus defeitos

Se você notar que existe um problema no sistema de partida, a primeira dica é não sair trocando peças antes de consultar um especialista. O motor de arranque é bastante durável e, em alguns casos, apenas uma boa limpeza ou a substituição de componentes baratos é o suficiente para resolver a falha.

Exceto em alguns modelos de veículos, essa manutenção costuma ser realizada de uma forma simples e rápida por um bom eletricista automotivo. Vamos conhecer um pouco mais sobre esse trabalho? Continue a leitura!

Escovas

As escovas funcionam da mesma maneira que em um motor elétrico qualquer, até mesmo aqueles usados em carrinhos de controle remoto. São feitas de carvão e sua função é conduzir a energia elétrica para o rotor (chamado de induzido). Contam com uma vida útil bastante longa, mas precisam ser trocadas quando ficam muito gastas ou apresentam falhas nos contatos elétricos.

Quando isso ocorre, o motor de partida perde eficiência e você precisa acioná-lo por mais tempo para ligar o veículo, o que acaba prejudicando outros componentes. Se nada for feito rapidamente, um conserto que custaria bem pouco pode se tornar algo mais caro e complicado.

Impulsor

Outro componente muito importante é o conjunto do impulsor, também chamado de “Bendix”. Sua função é controlar o acoplamento da engrenagem do motor de partida (o pinhão) na cremalheira instalada no volante do motor a combustão.

Se, por algum motivo, esse sistema não se movimentar, você vai ouvir apenas um ruído bem alto do motor de arranque, que ficará rodando “livre”, sem nenhum sinal de partida.

Caso o contato seja parcial, é possível que as duas engrenagens (pinhão e cremalheira) sofram um desgaste excessivo em pouco tempo, o que poderá levar à necessidade de substituição de ambas as peças, o que encarece muito a conta da oficina.

Relê solenoide

Sua função é empurrar o impulsor, ou seja, é o responsável indireto pela conexão do pinhão com a cremalheira. Não costuma dar problemas, mas é importante manter a manutenção do motor a combustão e de todo o sistema elétrico sempre em dia.

Um dos defeitos mais comuns é quando você vai ligar o veículo e ouve o famoso “tec”. Ou simplesmente não tem nenhuma resposta. Mas é preciso ter cuidado no diagnóstico. Podem existir várias causas com sintomas parecidos, desde a bateria descarregada até o acúmulo de sujeira.

Induzido

Por fim, temos o induzido (ou rotor), que é o responsável por gerar o movimento do componente. Quando o motor de partida está “arrastando”, um dos motivos pode ser o desgaste desse item. As causas podem ser variadas, desde o fim de sua vida útil, o que é normal, até danos prematuros causados por outras peças.

Quem deixa o arranque acionado por muito tempo, por exemplo, provoca um superaquecimento dessa peça, o que pode resultar em várias consequências. Outro problema comum é a falha no retorno do pinhão, causado principalmente por problemas no “miolo de partida”. A engrenagem acaba ficando presa à cremalheira do motor com o veículo em funcionamento, desgastando todo o conjunto.

Fique atento aos sinais de problemas

Agora que você já conhece os principais componentes do motor de partida, vamos listar os sintomas mais comuns que indicam que algo está errado. Preste muita atenção e procure um eletricista automotivo sempre que notar essas situações:

  • O motor de partida não aciona ou gira muito devagar;
  • Você ouve um estalo quando o motor de partida funciona;
  • Aparecem ruídos estranhos ao ligar o motor de partida;
  • O motor de partida aciona, mas o motor a combustão não.

Como falamos ao longo do texto, podem existir muitas causas para esses sintomas. Para nunca ficar sem partida, o primeiro cuidado é investir na manutenção preventiva do seu veículo. Além disso, ao notar qualquer defeito, o melhor é procurar um profissional de confiança o quanto antes.

Outro cuidado, durante a manutenção, é escolher peças de qualidade. Assim o serviço será bem executado você poderá rodar tranquilo por muito tempo. Principalmente nesse sistema, os componentes costumam ser muito baratos em relação ao custo da mão de obra, não vale a pena arriscar todo o trabalho.

Gostou de aprender um pouco mais sobre o motor de partida? Então, leia agora mesmo outro post do nosso blog e entenda como funciona a injeção eletrônica do seu veículo.

Você também pode gostar

5 thoughts on “O motor de partida está arrastando? Saiba identificar os sinais

      1. Olá Aline!
        Provavelmente o defeito não está no motor de arranque, verifique taxa de compressão, sistema de injeção, sistema de ignição entre outros para ir descartando possibilidades.

Deixe um comentário