Problemas na suspensão
Manutenção

9 sinais de problemas na suspensão

COMPARTILHE:

Os problemas na suspensão comprometem o desempenho do veículo, reduzem sua vida útil e fazem com que o condutor sinta os impactos dos buracos de ruas, não tenha a aderência das rodas no chão e, consequentemente, fique mais exposto a acidentes no trânsito. Mas você sabe como identificar quando há algo de errado com o sistema? Continue a leitura deste post e confira alguns sinais que denunciam que é hora de realizar a manutenção e evite dores de cabeça!

1. Barulhos fortes

Muitas pessoas chegam nas oficinas reclamando de problemas no amortecedor, devido aos fortes barulhos emitidos pela suspensão do veículo. Mas, por se tratar de uma peça hidráulica, ela não costuma apresentar ruídos metálicos.

Na verdade, na maioria das vezes o problema está relacionado a outros componentes do sistema de suspensão como bieleta com folga, desgaste das buchas de borracha – duas unidades utilizadas para fixar e auxiliar no movimento da barra estabilizadora, pivôs, terminais axiais folgados, coxins quebrados ou deteriorados. Quando uma delas fica frouxa, a diferença de movimento da suspensão dianteira e traseira causa batidas e som forte.

Em alguns automóveis como o Celta e o Corsa, o suporte da barra tensora (popularmente conhecida como morceguinho), também provoca fortes ruídos na suspensão.

Para evitar o desgaste das peças, garantir o excelente funcionamento do veículo e ampliar a sua vida útil, é essencial realizar uma inspeção preventiva — a cada 10 mil quilômetros rodados ou quando notar sons incomuns.

Muitas oficinas erroneamente trocam todo o sistema de suspensão, mas além de não ser necessário, ainda gera altos custos. É importante sempre levar em um local de confiança para que a avaliação do problema seja feita com muita atenção.

2. Instabilidade na direção

Quando o amortecedor está desgastado, pequenos solavancos são transmitidos para a carroceria do automóvel. O motorista notará o veículo instável e certo desconforto. O problema também afeta os pneus, assim ficará mais difícil ter o controle do carro.

3. Pneus desgastados

Se a suspensão estiver danificada, sem dúvidas os pneus sofrerão com isso, mesmo que sejam itens de alta qualidade e de marcas renomadas no mercado. No caso dos amortecedores estarem danificados, o desgaste dos pneus aumenta e a aderência deles ao solo se torna insatisfatória.

Não se esqueça que o alinhamento e balanceamento das rodas é essencial para manter o sistema de suspensão em dia e garantir uma ótima dirigibilidade. Quando as rodas sofrerem fortes impactos lembre-se que esse procedimento também é essencial.

Além de manter a suspensão do veículo em perfeito estado, o alinhamento e balanceamento ainda auxiliam na economia de combustível, já que a aderência dos pneus ao solo estará adequada. Você notará a diferença sem nenhuma dúvida!

4. Falta de estabilidade

Se você nota que seu veículo não fica estável nas curvas, tem tendência a passar reto, fazendo com que seja necessário reduzir a velocidade ou frear, e se a traseira derrapa quando você corrige a direção, é sinal de que os amortecedores não estão funcionando adequadamente e precisam ser substituídos. Consulte o seu mecânico de confiança para que ele avalie o problema e realize a troca da peça.

5. Vazamento

Ele pode ser facilmente identificado. O óleo vaza pelo amortecedor e faz com que ele perca o seu funcionamento. Um sinal de que o vazamento está ocorrendo é quando  há vestígio de óleo no corpo do amortecedor. Nesse caso, é importante que o carro seja levado até uma assistência técnica o mais rápido possível, pois a peça pode estar totalmente sem ação.

6. Rodas sem estabilidade

Quando o carro passa por irregularidades no asfalto, a roda fica “pulando”, ela sobe e desce rapidamente. É bem fácil notar. Além da falta de estabilidade, haverá um desgaste escamado dos pneus.

7. Molas danificadas

Elas geralmente não fazem nenhum barulho e, por isso, o condutor não consegue identificar quando estão com problemas. É importante ficar atento a qualquer indício de desgaste dessas peças. O mais comum é a perda de altura do veículo, mas outros como pintura desgastada, ferrugem, trincas ou elos batendo também costumam aparecer.

Se elas quebrarem, podem atingir os pneus imediatamente e comprometer a segurança do condutor e passageiros.

Molas ruins ainda danificam outros componentes da suspensão: batentes, amortecedores, rolamentos, além de gerar alterações no alinhamento do carro.

8. Rachaduras no monobloco

Nos carros rebaixados, a integridade da carroceria deve ser preservada. É preciso ficar atento ao surgimento de trincas e rachaduras no monobloco, principalmente em locais próximos às torres dos amortecedores.

Cuidado: os procedimentos de rebaixamento devem ser realizados com muita cautela e por empresas especializadas. O ideal é não modificar a originalidade da suspensão (reduzir o comprimento das molas ou alterar o diâmetro das rodas). O fabricante utilizou estudos técnicos e fez vários investimentos para garantir a segurança e desempenho dos automóveis.

Se você aumentar ou reduzir a altura de um veículo e não fizer os ajustes necessários para a suspensão do automóvel, as rodas vão ficar fora de alinhamento. Cada peça foi projetada para funcionar em uma altura exata. Se a altura sofrer alteração, o resultado será o desalinhamento dos pneus. O aumento ou redução de altura pode exigir a substituição de várias partes da suspensão de um veículo para corrigir problemas de alinhamento.

Alterações na estrutura, principalmente em itens que estão ligados a segurança do veículo, são muito arriscadas e podem colocar em risco a vida do condutor e dos passageiros.

9. Verificação dos componentes

É importante que seu mecânico realize uma inspeção nos componentes da suspensão que apresentam sinais de problemas:

  • bieletas com coifas deterioradas ou tortas comprometem a estabilidade do veiculo;
  • bandejas com buchas de borracha deterioradas, folgas nas fixações ou tortas, geram ruídos e desgaste irregular dos pneus;
  • molas desgastadas com marcas ou quebras nos elos, comprometem o comportamento do veiculo;
  • bucha de suspensão trincada ou com a bucha metálica solta, gera ruídos e desgaste irregular do pneu;
  • coxim do amortecedor quebrado transmite ruídos e vibrações para a carroceria. Sua função é de amortecer o impacto causado pelo amortecedor na carroceria do veiculo;
  • se o Pivô quebrar, pode desmontar a suspensão. É essencial a cada 5.000km verificar o estado da coifa e se não está com folga excessiva;
  • em caso do batente estar quebrado, ele gera ruídos e acelera o desgaste da mola e amortecedor. Sua função é impedir que o amortecedor sofra batidas bruscas quando chega ao final do curso.

Todos os componentes também devem ser verificados a cada revisão de 5.000 km.

Notou algum dos sinais acima? É hora de procurar uma assistência especializada para solucionar os problemas na suspensão do seu veículo. Na Nakata você encontra peças de reposição para suspensão do seu carro. Entre em contato e confira todos os benefícios!

Manutenção
COMPARTILHE: