Peça sem procedência: quais os problemas que ela pode causar?

peça sem procedência
4 minutos para ler

Algumas pessoas já compraram componentes para o carro sem se importar com a qualidade do produto somente para aproveitar uma superpromoção. Já aconteceu com você? Sabemos que os custos de manutenção podem ser altos — mas, ao comprar uma peça sem procedência, além arriscar a sua vida, o prejuízo pode ser ainda maior.

Ao longo deste texto você vai entender o porquê de evitar a compra de uma peça sem procedência, quais os problemas ela pode causar no seu carro, como identificar componentes de má qualidade e muito mais! Vamos lá?

Veja também:

9 dicas de como escolher o pneu certo para seu carro

A mola de suspensão está arreada? Veja o que fazer nestes casos!

> Seu carro caiu no buraco? Veja quando solicitar indenização por acidente

Qual a importância de usar peças de qualidade na manutenção?

Primeiramente, quando você compra uma peça automotiva, tem direito a garantia. Se o produto for de uma marca com qualidade duvidosa, por mais que a troca seja feita, é bem provável que o defeito constatado volte. Em alguns casos, a situação pode ser bem pior e, além de não resolver o problema, é possível que outros problemas ocorram.

Peças com boa procedência passam por vários testes e por um rígido controle de qualidade — além de comprovarem que o componente cumpre com os requisitos pelos quais ele foi projetado, garantem que ele não tem nenhum problema relacionado à falha de projeto ou fadiga de material.

Em componentes estéticos ou que não interferem no funcionamento e na segurança do carro, pode até parecer desnecessário se preocupar muito com a qualidade. E se for uma peça vital para a dirigibilidade do veículo, como amortecedores ou pastilhas de freio? Será que vale a pena se arriscar?

Quais impactos uma peça sem procedência pode causar no carro?

Em um veículo, todas as partes trabalham em perfeita harmonia e, quando uma delas se desgasta ou apresenta mau funcionamento, seja por fadiga ou má qualidade, todo o conjunto sofre. Uma peça ruim ou que use matérias-primas inferiores, além de trazer um risco a sua segurança, pode aumentar os custos de manutenção, uma vez que forçará outros componentes.

Uma peça relativamente simples como o coxim do amortecedor, por exemplo, se não for feito com materiais de primeira, pode prejudicar o funcionamento de amortecedores e comprometer todo o sistema de suspensão. Como resultado, há a possibilidade de acelerar o desgaste desses componentes e dos pneus, prejudicar a dirigibilidade e até mesmo causar um acidente.

Se uma peça simples pode trazer tantos problemas quando não tem boa procedência, o que poderá acontecer se as pastilhas ou discos de freio não forem bons o suficiente? O melhor a fazer é se prevenir, jamais comprar componentes inferiores e não arriscar.

Como identificar peças sem procedência e com qualidade duvidosa?

Você deve estar se perguntando, como faço para evitar essas peças sem procedência e garantir a minha segurança? As dicas são bem simples. Procure por marcas com boa reputação no mercado e que sejam reconhecidas pela qualidade. Além disso, tome cuidado com promoções e preços muito abaixo do normal, analise o aspecto visual do componente e, principalmente, fuja de produtos recondicionados.

Amortecedores recondicionados, por exemplo, podem até parecer perfeitos por fora, mas não há como saber a real condição deles no todo. Esses componentes sofrem bastante e precisam ser robustos. Não se esqueça da importância deles para o bom funcionamento dos veículos. Veja neste vídeo!

Além disso, verifique se existe um certificado de garantia acompanhando a peça, se ele traz informações precisas sobre trocas e, mais importante, se o fabricante disponibiliza um canal de atendimento (seja por telefone, chat ou e-mail) para esclarecer dúvidas. Algumas peças também necessitam, obrigatoriamente, do selo de qualidade do INMETRO — por isso, fique atento.

Uma peça sem procedência traz riscos enormes. A Nakata, fabricante de componentes automotivos e especialista no setor, recomenda fortemente que produtos remanufaturados não sejam utilizados na suspensão, freios e direção. Afinal, a segurança ao dirigir deve vir sempre em primeiro lugar. Siga as orientações de quem tem anos de experiência no mercado, sempre trazendo o melhor para seus clientes.

Gostou do conteúdo, mas ainda ficou com alguma dúvida? Entre em contato com a nossa equipe de especialistas e tire resolva-as agora mesmo!

Você também pode gostar

13 thoughts on “Peça sem procedência: quais os problemas que ela pode causar?

  1. Muito boa a matéria! Temos que estar sempre atentos a qualidades das peças adquiridas!
    Cheguei no blog através do PodCast Café brasil! Continuem apoiando o projeto do Luciano Pires, pois o que ele faz é sensacional! E, com certeza, a marca Nakata tbm sai fortalecida com esse apoio.

    1. Obrigada, Marcos!
      Seja bem-vindo ao blog da Nakata. Aqui tem muita dica legal pra você cuidar do seu carro, qualquer dúvida é só deixar um comentário.
      Esperamos te ver mais vezes por aqui. 🙂

  2. Cheguei até aqui por causa do podcast do Luciano Pires, o Café Brasil. Cheguei inicialmente mais interessado em concorrer mensalmente ao sorteio de cursos na Udemy. Porém, ao começar a ler os posts, verifiquei que a qualidade e relevância das postagens para mim trocaram o meu interesse.
    Continuarei acessando os conteúdos postados por vocês. São muito bacanas e me surpreendi positivamente.
    Parabéns Nakata, por trazer conteúdos de qualidade.

  3. Oi, que bom que temos muitas dicas assim.
    Por incrível que pareça, trabalho as vezes cobrindo um amigo que socorre carros quebrados nas estradas.
    Muitos defeitos ocorrem por substituições com peças não originais e que acabaram de serem trocadas.
    Após verificar com um diagnóstico rápido ou eles mesmos falam que acabaram de substituir uma peça desgastada por outra mas não era original.
    Geralmente são componentes eletrônicos e infelizmente eles nem sabiam que estes produtos tem paralelos com qualidade inferior.
    Grande abraço.

Deixe um comentário