como escolher o pneu certo
Componentes e Peças

9 dicas de como escolher o pneu certo para seu carro

COMPARTILHE:

Você sabe como escolher o pneu certo para o seu carro? Ele é um componente durável e a escolha do tipo correto, além de garantir sua segurança e conforto ao dirigir, evita o desgaste prematuro dessa parte tão importante do veículo.

Se escolhido de forma errada, pode causar sérios problemas na suspensão do carro, caixa de direção, terminais e diversos outros componentes, prejudicando a condução do carro e, principalmente, colocando a sua vida em perigo. Continue com a gente e aprenda a identificar e escolher o pneu certo para seu carro!

1. Faça uma revisão na suspensão e no sistema de direção

É preciso ficar bem atento a alguns detalhes importantes. Problemas em componentes da suspensão e direção podem reduzir muito a vida útil de um pneu, independente de ser o modelo certo ou não. Uma boa revisão evita dor de cabeça e dinheiro jogado fora.

Amortecedores defeituosos, por exemplo, causam muitos desgastes porque o contato com o solo não será o ideal. Sabe aquele jogo novinho com partes “comidas”? É bem provável que a culpa disso seja dos amortecedores. Terminais com defeito, folgas na direção e alinhamento ruim também são grandes vilões quando o assunto é desgaste dos pneus.

2. Entenda os códigos e etiquetas de identificação

Na hora da compra do pneu, você viu várias letras e números na lateral e não entendeu nada? Não se preocupe, vamos explicar o significado das principais. Usaremos como exemplo as seguintes marcações:

  • P175/70R13 92H;
  • Traction AA.

2.1. Medidas, tipo de construção e veículo

O primeiro conjunto de letras e números mostra quais são as medidas, a forma de construção e para qual tipo de carro o pneu foi desenvolvido. A leitura desses valores é feita da seguinte forma:

  • P — Indicado para veículos de passeio;
  • 175 — Largura, em milímetros;
  • 70 — Altura da lateral, sendo 70% do tamanho da largura, ou seja, 122,5 mm;
  • R — Mostra que o pneu é radial;
  • 13 — Indica o tamanho da roda que deve ser usada.

2.2. Índice de carga

Esse item indica o peso máximo suportado por cada pneu, usando a calibragem ideal. Ele vem marcado logo após as indicações das medidas. Em nosso exemplo, esse valor é 92. Porém, esse número não quer dizer que ele aguente 92 kg. Uma tabela deve ser consultada. Para esse modelo, o peso máximo suportado é de 630 kg cada.

2.3. Índice de velocidade

Pode ser encontrado logo após o índice de carga. Mostra qual a velocidade máxima que o pneu suporta. Para o exemplo que usamos, ela é representada pela letra “H”, indicando uma velocidade máxima de 210 km/h.

Os modelos mais comuns encontrados são:

  • Q — Até 160 km/h;
  • R — Até 170 km/h;
  • S — Até 180 km/h;
  • T — Até 190 km/h;
  • H — Até 210 km/h;
  • V — Até 240 km/h.

2.4. Treadwear

Com valores entre 60 e 700, esse número indica a durabilidade de um pneu. Quanto maior esse valor, mais resistência ele terá. Porém, vale lembrar que o desgaste também depende de outros componentes do veículo, portanto, um Treadwear 200 pode durar mais que um de valor 300, dependendo das condições, por exemplo, dos amortecedores.

Durar mais não quer dizer melhor opção. Pneus mais macios se desgastam mais rápido, porém, geram mais aderência, sendo melhores em curvas e frenagens. Normalmente, quanto maior o treadwear, mais dura será a borracha da banda de rodagem.

2.5. Etiqueta padrão “UE”

A partir de abril de 2018, todos os pneus comercializados no Brasil deverão vir com a etiqueta padrão “UE”, facilitando a leitura dos seus tipos e indicando quais são as suas principais características. Essa etiqueta, já usada na Europa, vem com informações sobre sua eficiência quanto ao consumo de combustível, aderência em piso molhado e geração de ruídos.

3. Procure informações no manual do fabricante do veículo

Sempre procure informações no manual do seu carro. Ele vai indicar as principais características do pneu correto para seu veículo, como largura, tamanho e pressão ideal. Não seguir as especificações do fabricante pode causar sérios danos à suspensão e ao sistema de direção, além de aumentar o risco de acidentes.

Esses componentes foram projetados para aguentar determinadas forças e, usando pneus incorretos, elas podem ultrapassar os limites testados pelo fabricante, causando desgaste e possivelmente a quebra.

4. Identifique o tipo de carro que você tem

Cada carro possui um pneu ideal e saber identificar qual tipo de veículo você tem é muito importante. Como você já aprendeu a reconhecer as letras gravadas na lateral sabe que, para carros de passeio, o recomendado é aquele que tenha a inscrição “P”. Se não for o seu caso, existem alguns outros modelos, sendo esses:

  • LT — Indicado para caminhões leves e alguns tipos de SUVs maiores;
  • ST — Indicados para reboques e motor-homes;
  • C — Usados em caminhões, vans e pick-ups de maior porte.

5. Verifique os locais onde o veículo é mais usado

Os locais onde você usa o seu carro também são importantes para a escolha correta do pneu. Ao usa-lo em ambientes urbanos, a velocidade atingida tende a ser menor, portanto, o índice de velocidade pode ser baixo, como o indicado pela letra “Q”, até 160 km/h. Se o veículo for usado em viagens ou grandes percursos, onde a velocidade pode ser maior, é recomendado o uso das categorias “S” ou “T”.

Fique atento também ao tipo de terreno onde você trafega. Existem pneus que são mais indicados para asfalto ou terra e outros que funcionam bem nos dois terrenos. Lembre-se também que, um valor treadwear mais alto indica uma durabilidade maior, mas não é recomendado em terrenos de terra por causa da sua menor aderência.

6. Determine a banda de rodagem

O terreno por onde você anda com seu carro é determinante para definir a banda de rodagem e a largura do pneu. Os desenhos ou sulcos são responsáveis por escoar a água. A banda de rodagem simétrica, ou seja, com sulcos iguais em ambos os lados, é recomendada para uso urbano, sendo essa uma das mais comuns em carros de passeio.

As assimétricas possuem diferenças entre o lado esquerdo e direito. Isso aumenta o escoamento da água, garantindo mais estabilidade em curvas, além de melhorar o desempenho nas frenagens com terreno molhado. Em pneus off-road, além dos sulcos, que nesse caso, servem para eliminar a lama e outros detritos, são usados blocos de borracha, trazendo mais tração.

7. Não exagere na largura

A largura do pneu, assim como os desenhos dos sulcos, afeta a tração e desempenho do carro em frenagens. Aumentando essa medida, o contato do veículo com o solo será melhor e, por consequência, sua estabilidade em curvas também vai melhorar. Mas fique esperto! Isso aumenta o consumo de combustível e causa mais estresse aos componentes da suspensão e da direção.

8. Fique atento ao peso máximo suportado pelos pneus

Essa dica vale principalmente para pick-ups, SUVs, pequenos caminhões e vans. Lembra que falamos sobre o índice de carga? Se você costuma transportar cargas ou lotar o carro de gente, procure pneus com um índice maior. Trafegar acima desse limite pode causar graves acidentes.

9. Evite pneus recauchutados e marcas sem procedência

Pneus são componentes de vida longa e quando são de qualidade, podem durar até 60.000 quilômetros, dependendo das condições do veículo. Fuja dos recauchutados e das marcas desconhecidas. Por mais bonitos que eles estejam por fora, por dentro podem estar um caos. Além disso, o material usado pode não ser de boa qualidade e o barato acabaria saindo bem caro.

Siga essas dicas de como escolher o pneu certo e confira se ele possui o selo de qualidade do Inmetro, que garante um produto de boa procedência. Fazendo isso, você evita muitas dores de cabeça. Não coloque a sua vida em risco.

Agora que você já sabe como escolher o pneu certo, que tal aprender como trocar?

Componentes e Peças
COMPARTILHE: