O que fazer com um motor fundido
Manutenção

O que fazer com um motor fundido?

COMPARTILHE:

Infelizmente, é comum que os brasileiros ignorem a importância da manutenção preventiva dos seus veículos. Isso resulta no aumento da desvalorização e na queda do preço de revenda. Afinal, ao comprar um seminovo, todos procuram um carro conservado.

A falta de cuidados não afeta apenas a revenda. O proprietário do veículo pode ter que lidar com problemas graves enquanto estiver com ele. O motor fundido é um deles. Ao negligenciar a troca de óleo por muito tempo, você coloca o carro em sério risco — pode ser preciso até mesmo comprar um motor novo.

Continue a leitura deste post e entenda melhor o que acontece com o motor do seu veículo!

O que é um motor fundido?

Essa expressão significa que o motor se encontra travado e não funciona mais. A única coisa que se ouve ao tentar dar a partida no carro é o ruído das peças metálicas se chocando ou apenas o barulho do motor de arranque.

Não é fácil chegar ao ponto de ter o motor fundido, mas algumas coisas podem gerar esse problema. Alguns dos motivos são: trabalhar em altas temperaturas, falta de lubrificação — que é responsável por diminuir o atrito entre as peças metálicas — ou uso de combustível de má qualidade.

A fundição do motor ocorre quando as peças internas se quebram, são danificadas ou derretem. Os componentes de metal, que têm ponto de fusão à temperatura de 1500 °C, mais ou menos, acabam derretendo. Esse fenômeno pode acontecer em várias partes do motor — um bloco pode arrebentar, um pistão pode derreter dentro do cilindro, entre outras situações.

Esse é um problema muito sério, mas fique tranquilo; ele só acontece por um motivo: o desleixo com o motor. Não realizar as revisões programadas e esquecer outros cuidados são as razões para que o motor chegue a esse estado. Além de possível, é fácil prevenir esse perigo.

O que fazer ao detectar que o motor fundiu?

Se você receber esse diagnóstico do mecânico, o primeiro passo é calcular o tamanho do prejuízo, pois em casos como esse o custo do reparo pode chegar a 50% do valor do veículo. Para baratear, o profissional pode indicar que você faça apenas uma retífica ou a troca de algumas peças, mas essas não são boas ideias.

Quando o motor chega ao ponto de fundir, significa que o problema foi muito profundo; logo, é arriscado tentar consertar. O preço de uma retífica completa pode chegar bem perto do valor de um motor novo. Além disso, o serviço de retífica dura de dois a três anos apenas, sendo necessário refazer o processo depois desse período.

Por isso, ao detectar um motor fundido, o mais seguro é comprar um novo. Assim, você passará menos tempo na oficina e o resultado será muito mais satisfatório do que uma retífica — que muitas vezes não consegue deixar o veículo em condições iguais às que ele apresentava anteriormente.

Motor fundido é uma situação complicada e cara; por isso, o melhor remédio é a prevenção. Tomando alguns cuidados rotineiros você nunca enfrentará esse problema. Mas se for preciso enfrentar, mantenha a calma. Um mecânico de confiança pode ajudar a resolver tudo.

Como evitar um motor fundido?

Efetue a troca de óleo

O óleo é responsável por diminuir o atrito entre as peças metálicas, proporcionando um funcionamento suave. Além disso, parte de sua função é resfriar o motor, retirando calor das partes metálicas. Portanto, a falta de óleo lubrificante está entre as causas que podem levar o motor a fundir.

Quando o óleo lubrificante está abaixo do nível mínimo indicado na vareta, não há volume suficiente para lubrificar todas as peças do motor. Com o tempo, o atrito entre elas aumenta e, consequentemente, a temperatura também. Assim, o motor corre o risco de fundir.

Não é apenas a falta de óleo que danifica o motor. Um óleo muito vencido também pode prejudicar. O fluido tem uma vida útil; após esse tempo predeterminado, ele vai perdendo suas propriedades lubrificantes e ficando cada vez mais fino. As consequências são as mesmas da falta de óleo: as peças metálicas entram em atrito e o motor passa a correr sérios riscos.

É importante também não misturar óleos lubrificantes de especificações diferentes. Os óleos são componentes químicos de ação específica, assim, misturar dois componentes diferentes resulta em um terceiro elemento químico desconhecido, cujas funções podem não ser benéficas para o motor.

Troque os filtros do veículo

A troca dos filtros de ar, óleo e combustível também são muito importantes para evitar que as impurezas cheguem até o motor e comprometam o seu funcionamento. Cada filtro é responsável por eliminar um tipo de sujeira. O filtro de ar, por exemplo, é encarregado de eliminar as impurezas que vão para dentro do cilindro.

Muitas pessoas não sabem que o motor sai de fábrica com folgas entre as suas peças. Se o ar que entrar tiver partículas de areia, elas poderão se alojar entre as folgas e provocar um desgaste maior dos componentes. Os grãos seriam como “lixas” que raspariam o metal dos componentes.

O filtro do combustível remove as sujeiras que podem estar presentes no tanque; já o filtro do óleo limpa as impurezas que surgem conforme o uso, tendo a finalidade de manter o fluido sempre limpo.

A substituição dos filtros deve ser efetuada de acordo com a indicação descrita no manual do proprietário do veículo.

Confira o líquido de arrefecimento

A segunda causa que mais funde o motor é a falta de resfriamento adequado. O líquido de arrefecimento deve estar sempre entre os níveis de mínimo e máximo, indicados no reservatório de expansão. A falta desse fluido faz com que o motor esquente e saia da temperatura ideal de trabalho, que é, aproximadamente, 90 ºC.

Quando o motor trabalha acima dessa temperatura, o carro começa a ferver. A insistência em rodar com o motor nessas condições acaba por danificá-lo. Por isso, é importante sempre verificar se o nível do líquido refrigerante está adequado, além de observar se as mangueiras estão furadas ou se o radiador apresenta danos.

É importante também analisar a coloração do líquido. Se ele estiver com aspecto barrento, como água suja na cor marrom, é hora de fazer a troca. Essa cor indica que o motor está enferrujado por dentro e a ferrugem pode entupir o radiador, que é responsável por esfriar o líquido. Com o entupimento, o motor também esquentará.

Abasteça em postos de qualidade

Outro vilão é o combustível adulterado, pois produtos químicos utilizados para adulterar o combustível podem danificar o motor — além de gerar outros problemas, como bicos injetores entupidos, tanque de combustível sujo e também uma possível queima na bomba de combustível.

É essencial evitar combustíveis adulterados e saber identificar estabelecimentos duvidosos. Um dos principais indícios de que as características originais da gasolina, álcool, diesel ou GNV estão comprometidas é o preço muito abaixo daquele que é praticado no mercado.

Se você notou que o seu carro começou a “engasgar” ou que o rendimento do combustível está abaixo do que deveria, fique atento! Para tirar as suas dúvidas relacionadas à seriedade do estabelecimento é possível solicitar o teste de proveta.

Pode parecer complicado, mas o processo é simples e rápido e todo frentista deve realizá-lo quando for solicitado pelo consumidor. O teste de proveta foi regulamentado por meio da portaria nº 248/2000 da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e nenhum posto pode se negar a fazê-lo.

É verdade que é mais raro um motor fundir por esse motivo. Mesmo assim, não se descuide! A escolha de um posto de gasolina de confiança, que comercialize combustíveis de qualidade, além de prolongar a vida útil do seu automóvel, influencia diretamente o seu bolso, já que previne o gasto com manutenções mecânicas inesperadas.

Faça a manutenção preventiva

Por fim, o que causa a fundição do motor é justamente a falta de manutenção preventiva. Realizar as manutenções no tempo correto, além de evitar esse problema, também ajuda a preservar o carro, evitando surpresas e defeitos indesejados que, muitas vezes, aparecem nas piores horas.

Quando o motor funde ou está prestes a fundir, ele apresenta alguns sintomas. Os mais comuns são ruídos diferentes, semelhantes aos de batidas de metal contra metal, e saída de fumaça do motor. Também pode acontecer de ele não ligar quando você tenta dar a partida; nesse caso, ele apenas faz barulho ou chacoalha algumas peças, como se elas estivessem soltas.

Procure um mecânico de sua confiança e programe um calendário de revisões. Afinal, prevenir é melhor que remediar, não é mesmo?

Tenha cuidado com a baixa rotação

Marchas altas e baixa velocidade não combinam. Esse hábito força de forma excessiva o motor e reduz a sua vida útil.

Respeite sempre os seguintes limites de velocidade para cada marcha:

  • 1ª marcha: até 20 km/h;
  • 2ª marcha: até 35 km/h;
  • 3ª marcha: até 45 km/h;
  • 4ª marcha: até 60 km/h.

Fique de olho na correia dentada

A principal função desse componente é manter cada item do motor trabalhando em perfeito estado. A correia dentada garante que os pistões trabalhem no mesmo tempo ao das outras peças. Se ela quebrar, todo o conjunto falha e o motor é danificado de forma severa. Para evitar qualquer problema, fique atento ao período de troca dessa peça.

Agora é com você! Cuide corretamente do seu motor; ele é a peça mais importante do seu veículo. A substituição de um motor que fundiu pode comprometer muito o seu orçamento.

Que tal conhecer mais do mundo automotivo? Veja as 6 competições de carros que você não pode perder!

Manutenção
COMPARTILHE: