Sistema de lubrifiicação
Manutenção

Checklist para verificar o sistema de lubrificação do seu carro!

COMPARTILHE:

O sistema de lubrificação do carro é muito importante para que o motor funcione corretamente, apresente o rendimento e consumo desejado pelo condutor, além de ser o responsável por ampliar a vida útil das peças do veículo. Mas você sabe como manter os componentes desse sistema sempre em perfeito funcionamento e detectar problemas? Continue a leitura deste post e confira algumas dicas para não ter dor de cabeça com panes e evitar gastos inesperados com manutenção!

1. Verificar o óleo

O óleo lubrificante é muito importante para que as peças do sistema de lubrificação não entrem em atrito e se desgastem com mais facilidade.

A quilometragem adequada para a troca do óleo e o lubrificante indicado para cada modelo de automóvel estão descritos no manual do fabricante, que deve estar sempre estar guardado em local de fácil acesso. Cada motor utiliza um tipo específico de lubrificante, ao realizar a troca deve ser utilizado um produto com as mesmas especificações. Nunca devem ser misturados dois modelos de óleo.

O aconselhável é que um profissional especializado realize a troca de óleo, pois, se o lubrificante pingar no motor, ele pode afetar velas, câmara de combustão e catalisador.

Mesmo que ainda não seja a hora de trocar o óleo, é importante conferir o seu nível. Para medi-lo, o motorista deve estar em local plano, esperar pelo menos cinco minutos após desligar o carro (quando o óleo está quente é comum de que seu nível reduza e dê a falsa impressão de que precisa ser reposto), tirar a vareta do motor e limpá-la muito bem para não ficar nenhum resíduo, colocá-la e retirá-la novamente para conferir se o óleo está entre o mínimo e máximo do nível.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o correto é que o líquido esteja bem no meio das marcações. Se estiver acima do máximo, pode vazar e danificar outros componentes e abaixo do mínimo, o funcionamento do motor pode ser prejudicado, devido a falta de lubrificação.

2. Evitar aditivos no óleo

Você acha que aditivos no óleo são eficazes? Então, saiba que além de ser um desperdício de dinheiro, colocar aditivos extras no lubrificante pode comprometer as suas propriedades, já que ele já tem a fórmula ideal para manter a lubrificação adequada das peças. Essa prática pode ainda gerar a formação de depósitos e, caso o automóvel seja novo, promover a perda da garantia.

3. Trocar o filtro de óleo

Essa peça tem como função separar os resíduos que contaminam o óleo, como partículas metálicas que surgem com o atrito das peças do motor, entre outras impurezas. Durante a passagem pelo filtro, as impurezas maiores ficam retidas.

Em um determinado momento, o filtro ficará carregado de sujeira e dificultar a passagem de óleo. O resultado? Falhas na lubrificação. A situação pode ficar ainda pior caso o filtro fique totalmente bloqueado por impurezas e não permita a passagem do óleo, o que pode gerar danos graves ao motor.

Para saber o período exato para a troca do filtro de óleo, é recomendado também consultar o manual do veículo. Alguns fabricantes aconselham a substituição com óleo, para que o lubrificante novo não se misture com os resíduos do filtro antigo.

4. Ficar atento à luz do painel

A maioria dos motoristas tem uma falsa ideia de que quando a luz de alerta do óleo acende no painel é a indicação de que o nível do óleo está abaixo do mínimo. Mas nem sempre esse é o motivo!

Ela também pode indicar problema no sistema de lubrificação, independentemente do nível de óleo, como a falta de pressão no sistema por defeito na bomba de óleo, canal de lubrificação entupido (devido ao óleo ter ficado muito denso e virado borra) ou que existe o excesso de folga entre partes móveis do motor e o desgaste excessivo das peças, em outras palavras, um indício de que o motor do carro está fundindo.

É importante sempre ficar atento à luz de óleo do painel, ela deve apagar quando o motor começa a funcionar. Se demorar para desligar ou permanecendo acesa, é um aviso de que algo está errado com o sistema. Nesse caso, procure uma oficina mecânica  de sua confiança para que um profissional possa analisar o problema e efetuar a manutenção adequada.

5. Ficar atento aos vazamentos

Vazamentos de óleo no chão também são indícios de que existe algum problema sistema de lubrificação, entre eles, pode estar o excesso de óleo, folga ou desgaste no tampão do cárter (o reservatório do óleo). Ao notar vestígios do lubrificante no solo, o ideal é procurar um mecânico para que ele verifique a causa correta do vazamento.

Oficinas especializadas possuem equipamentos adequados para analisar os pingos de óleo no chão e detectar o defeito com muito mais facilidade.

6. Ficar atento aos ruídos

Ruídos provenientes do atrito de peças metálicas são um sinal de que a lubrificação desses itens não está ocorrendo da maneira adequada. No momento da partida, é preciso ficar atento a sons incomuns. Se surgir algum barulho diferenciado, é sinal de que o veículo deve passar por um check-up o mais rápido possível.

7. Fazer a manutenção preventiva

O sistema de lubrificação é composto pelos seguintes componentes: bomba, filtro de óleo, pescador de óleo, cárter, radiador de óleo, vareta do nível do óleo e óleo. Todos eles precisam ser analisados com frequência para garantir o funcionamento correto do veículo e a segurança no trânsito.

Muitas vezes, a manutenção preventiva não recebe a devida atenção, mas é um procedimento que pode evitar que problemas simples se agravem e gerem altos custos para o proprietário. Criar um calendário com a programação de preventivas e lembretes ajuda a manter as revisões sempre em dia, e, consequentemente ampliar a vida útil do veículo.

Agora que você já sabe como cuidar do sistema de lubrificação do carro para mantê-lo em perfeito estado, que tal assinar a nossa newsletter para receber dicas para ampliar a vida útil do seu carro em primeira mão? Confira também um vídeo especial sobre a troca de óleo.

Manutenção
COMPARTILHE: