Revisão da moto: fundamental para rodar tranquilo e com segurança

revisão-da-moto
7 minutos para ler

Ágeis e econômicas, as motocicletas fazem parte do dia a dia de milhões de brasileiros. São usadas para trabalhar, como meio de transporte ou apenas nas horas de lazer. Mas, como todo veículo, precisam de uma manutenção caprichada para não ficarem pelo caminho ou acabarem envolvidas em acidentes.

Um cuidado fundamental é a revisão periódica. Pode ser feita rapidamente pelo dono, não exige grandes conhecimentos técnicos e nem ferramentas especiais. Como muitos defeitos acabam sendo descobertos no início, reduz a conta da oficina e garante a tranquilidade no uso diário. A seguir, confira o nosso passo a passo e mãos à obra!

Leia também:

A importância da inspeção

Quem conhece bem o seu veículo nunca é pego de surpresa. Essa é a primeira vantagem de investir algum tempo na checagem dos principais sistemas da motocicleta. Outro ponto a favor é evitar as quebras por desleixo, como os problemas causados por lubrificantes velhos ou pastilhas gastas. Por último — e mais importante! — com a manutenção em dia você não corre riscos no trânsito.

Para fazer essa revisão periódica, o ideal é seguir todos os prazos indicados no manual do proprietário e também criar uma rotina, como fazer uma verificação básica semanal. Em complemento, é fundamental contar com o apoio de uma oficina que ofereça um serviço mecânico de qualidade, capaz de resolver os problemas mais sérios com rapidez, economia, garantia e segurança.

Os grandes benefícios

A princípio, você pode até pensar que esses cuidados são exagerados, um desperdício de tempo e dinheiro. Afinal, muita gente roda direto com as motos sem a menor preocupação e busca uma oficina apenas em último caso. Mas, se analisarmos três pontos muito importantes, as vantagens ficam evidentes. Vamos conferir?

Segurança

Um veículo acompanhado de perto, com todos os sistemas verificados de tempos em tempos, dificilmente apresentará alguma situação de desgaste ou quebra que possa causar um problema inesperado. Você poderá confiar na máquina e pilotar sempre tranquilo, mesmo nas condições mais difíceis, como durante uma tempestade.

Durabilidade

Outra vantagem é que todas as peças da motocicleta duram muito mais. A manutenção das condições ideais de funcionamento evita o desgaste prematuro dos componentes. Todos os sistemas trabalham dentro dos parâmetros originais, sem sofrerem esforços ou danos causados por itens defeituosos ou lubrificantes velhos.

Economia

Como consequência, o proprietário fará uma economia significativa no final do mês. As manutenções preventivas são muito mais baratas do que as corretivas e, além disso, com o motor trabalhando sempre em ordem, a moto gasta pouco combustível e polui menos. Até as despesas com pneus e freios podem ficar menores.

Como fazer a análise

Conforme destacamos anteriormente, para manter a motocicleta em ordem, o ideal é unir o cuidado frequente do dono com o apoio de um mecânico de confiança. Sempre que visitar a oficina, acompanhe os trabalhos e aprenda como funciona cada peça. As revisões periódicas, apesar de serem rápidas, devem englobar todos os sistemas.

Motor e câmbio

Um primeiro cuidado é manter o conjunto sempre limpo. Assim fica fácil notar algum vazamento de óleo, combustível ou fluido hidráulico. Mas prefira fazer a limpeza sem usar água ou químicos fortes. Existem à venda produtos em spray que removem toda a sujeira com rapidez e sem danificar os componentes.

Na sequência, confira o estado de cada cabo, cachimbo e vela. Também verifique os filtros de ar e combustível. Outro ponto de atenção é com o nível e prazo do lubrificante. Se a moto tiver radiador, veja o líquido de arrefecimento e, se necessário, complete com água destilada e aditivo, sempre na proporção indicada pelo fabricante.

Relação

A maioria das motocicletas usa o conjunto de pinhão, coroa e corrente. Sua manutenção é muito fácil. Hoje existem kits próprios para esse trabalho (com sprays e escova) que fazem a limpeza e lubrificação em minutos. Também é interessante pedir uma “aula” para o seu mecânico sobre como conferir e ajustar a tensão da corrente.

Nos modelos com eixo cardan, confira o nível do lubrificante seguindo as orientações do manual e fique sempre atento ao aparecimento de vazamentos. Qualquer que seja o sistema (corrente ou cardan), o funcionamento deve ser sempre suave. Se surgirem trancos ou estalos, é mau sinal, procure a oficina o quanto antes.

Cabos

Nas motos mais simples, os cabos estão por todos os lados, comandando o acelerador, a embreagem, os freios e até o velocímetro. Verifique se estão “correndo livres” pelas capas e sem partes desfiadas. Como são itens baratos, ao menor sinal de problema, faça uma troca preventiva. É um trabalho fácil e rápido.

Pneus

São elementos essenciais para a sua segurança e conforto. Durante a revisão, confira o desgaste das bandas de rodagem e veja se não existem bolhas ou qualquer outro dano nas laterais. Uma vez por semana, é importante fazer a calibragem, sempre aplicando a pressão indicada no manual.

Freios

Nos sistemas a disco, você consegue avaliar facilmente se as pastilhas estão boas. Quando ficarem muito finas, procure a oficina da sua confiança e faça uma troca preventiva. Nos tambores, o ideal é o mecânico fazer uma revisão anual ou a cada 15 mil quilômetros. Outra dica é ver o desgaste das lonas quando um pneu furar.

Se o acionamento for hidráulico, sempre confira o nível do fluido, fique atento ao aparecimento de vazamentos e faça a troca completa na oficina conforme os prazos indicados no manual. O mau funcionamento dos freios é uma das principais causas de acidentes com os veículos de duas rodas.

Suspensões

Seguindo com a revisão, procure sinais de problemas nos amortecedores traseiros, como vazamentos ou buchas quebradas. Na dianteira, confira o nível do fluido hidráulico das bengalas e veja se os retentores estão vedando bem. Para finalizar, movimente os conjuntos e avalie se não existem folgas, ruídos ou pancadas secas.

Elétrica

Por último, teste todos os itens do sistema elétrico, como o farol, lanterna traseira, setas e buzina. Quando é necessário, são itens muito fáceis de consertar e, se não estiverem em ordem, podem gerar uma multa. Também fique atento ao estado da bateria. Ao notar os primeiros sinais de falha, procure um profissional especializado.

Depois que a revisão periódica se torna uma rotina, é possível verificar todos esses itens e ainda dar um trato na moto em pouco tempo. É um trabalho que vale a pena! Garante uma pilotagem tranquila e segura, além de reduzir os custos de manutenção. Você também terá uma visão mais clara dos problemas para informar ao seu mecânico.

Gostou do post? Aproveite e assine a nossa newsletter! Você receberá muitas outras novidades técnicas sobre motocicletas na sua caixa de entrada.

Você também pode gostar

Deixe um comentário