Bombas de combustível: saiba como identificar o momento de fazer a manutenção

bomba de combustível
7 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Existem diferentes tipos de bombas de combustível para automóveis, mas uma coisa é certa: se elas não forem bem cuidadas, independentemente do modelo, você pode acabar ficando na mão ou gastando muito mais na oficina. Vamos evitar que isso aconteça conhecendo melhor esse componente?

Ao longo deste texto, vamos explicar o que são as bombas de combustível, a função dessa peça, os principais modelos, suas particularidades, sinais de que algo está errado e muito mais!

O que é a bomba de combustível?

Você já parou para pensar que quase nunca — apenas em alguns modelos antigos, como a Kombi — vemos o tanque de combustível próximo do motor? Mas então, como a gasolina, o etanol ou até mesmo o diesel chega até o propulsor? Graças a um componente chamado bomba de combustível.

Essas bombas são responsáveis por transferir o combustível do tanque até o sistema de injeção ou o carburador. Esses, por sua vez, vão alimentar o motor para o seu funcionamento. Normalmente apenas uma dá conta do recado — exceto em alguns modelos de alta potência, como carros de competição, que podem ter mais unidades.

Como funciona a bomba de combustível?

Embora a função sempre seja a mesma, as bombas de combustível podem funcionar de forma diferente, dependendo do modelo do veículo. Existem, basicamente, dois tipos: a mecânica e a elétrica. Essa última é a mais moderna e se faz presente em todos os carros atuais, trabalhando em conjunto com a injeção eletrônica.

Bomba mecânica

Essas bombas de combustível costumam equipar veículos mais antigos, que utilizam carburador ou bomba injetora mecânica (nesse caso, servem apenas para retirar o diesel do tanque). Elas são bem robustas e raramente causam algum tipo de problema. Seu funcionamento é relativamente simples e não depende de muitos componentes.

Quando o motor é girado, uma espécie de alavanca (conectada ao virabrequim, comando de válvulas ou outra parte móvel) aciona um diafragma ou um par de engrenagens dentro da bomba, criando uma sucção. O combustível, então, entra por uma válvula, que impede seu retorno ao tanque, e sai por outra, conectada ao sistema de alimentação.

Um dos pontos negativos desse sistema é que ele só funciona quando o motor está em movimento e depende da rotação para gerar mais sucção. Para solucionar essa falha e tornar o processo mais preciso, foram desenvolvidas as bombas elétricas, que são muito melhores.

Bomba elétrica

O funcionamento das bombas elétricas é bem semelhante ao das mecânicas, só que elas não dependem do giro do motor para entrar em operação e bombear o combustível do tanque. Nesses modelos, quem faz o trabalho de acionamento é um pequeno motor elétrico integrado ao componente.

Qual é a vantagem disso? As bombas elétricas conseguem manter um fluxo muito mais constante de combustível indo ao motor, mesmo em rotações mais baixas. Além disso, o controle é mais fácil, o que permite gerenciar melhor o sistema e tornar os veículos mais eficientes.

Quais são as particularidades dessa peça?

As bombas elétricas têm algumas particularidades em relação às mecânicas. Uma delas é a pressão do combustível, bem mais alta, necessária ao perfeito funcionamento da injeção eletrônica. Outro detalhe são os diferentes tipos existentes. Basicamente, são duas: interna e externa.

Como o próprio nome diz, as bombas de combustível internas ficam dentro do tanque, trabalhando integradas com outros componentes do sistema. As externas ficam instaladas em um suporte, que pode estar localizado em qualquer ponto da linha de combustível, geralmente na parte traseira do veículo.

Essas bombas também podem ser divididas entre modulares e não-modulares. O primeiro tipo costuma ser montado num único bloco, onde encontramos o pré-filtro, o medidor de nível do tanque e o sistema de retorno. O outro modelo é mais simples, composto apenas pela bomba (na maioria das vezes, formada por um par de engrenagens) e seu motor.

Como fazer a manutenção preventiva do sistema?

Bom, agora que você já conhece um pouco mais sobre as bombas de combustível, é hora de vermos como deixar a manutenção desse componente em dia. O primeiro passo é jamais andar com o tanque na reserva, pois isso pode causar até mesmo a queima do motor elétrico.

Diferentemente das versões mecânicas, as bombas elétricas usam o próprio combustível para serem resfriadas e, caso o nível esteja sempre baixo, elas acabam sofrendo danos com o passar do tempo. Além disso, é muito importante ter atenção ao pré-filtro (que retém as sujeiras presentes no tanque), mangueiras, abraçadeiras e filtro principal.

Infelizmente, o combustível brasileiro costuma ter muitas impurezas e, se esses filtros ficarem saturados, podem reduzir o fluxo, forçar a bomba e causar falhas no funcionamento do veículo. Portanto, é fundamental realizar a manutenção preventiva desses elementos filtrantes de acordo com as recomendações do manual.

Um dos princípios básicos da direção defensiva é manter o carro em ordem. Por isso, siga as recomendações e faça uma inspeção detalhada no sistema de alimentação de combustível pelo menos a cada 15 mil quilômetros rodados. Porém, se você anda pouco com o carro ou em regiões com muito trânsito, reduza esse tempo.

Por que é bom ficar atento à qualidade do combustível?

Existe outro detalhe que afeta bastante o tempo de vida da bomba de combustível e o prazo para a manutenção. O combustível que você coloca no tanque é de qualidade? Quando está adulterado, ele pode conter uma série de produtos químicos que danificam a bomba e outros itens do sistema de alimentação.

Por isso, evite prestar atenção apenas no preço. Se tiver dúvidas em relação ao combustível, procure outro posto.

A que sinais de problema é preciso ficar atento?

Como você deve ter percebido, quando bem cuidada, a bomba de combustível tem uma vida útil bem grande. Mas problemas podem acontecer devido ao desgaste natural da peça. Os principais sintomas de que esse componente precisa de manutenção são a perda de potência do motor, funcionamento irregular ou até mesmo a parada total do veículo.

Essas falhas podem ocorrer devido ao desgaste dos componentes internos (normal ou prematuro), defeitos nas válvulas da peça, redução da vazão por alguma obstrução, queima do motor elétrico, entre outros problemas.

Quando fazer a troca?

Bom, quer dizer que se o carro parou e notei que não há combustível indo para o motor, devo trocar a bomba? Não! Vários problemas podem causar essa situação e, como dissemos, esse componente não costuma falhar de uma hora pra outra quando é bem cuidado. Se perceber algum dos sintomas mostrados, procure um especialista o quanto antes.

As bombas de combustível são componentes vitais para o bom funcionamento do carro e, como você viu, podem impactar o seu orçamento ou até deixá-lo pelo caminho. Faça a manutenção nos períodos recomendados, tenha atenção à qualidade do que coloca no tanque e evite esses problemas.

Quer aprender mais sobre o seu carro e virar um especialista? Então, siga a Nakata no Instagram, Facebook, Twitter, YouTube e LinkedIn!

Powered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe um comentário