Quais as principais dúvidas sobre o uso do ar-condicionado automotivo?

ar condicionado automotivo
9 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Você já passou pela triste experiência de andar de carro no calor e sem ar-condicionado? Caso você já tenha vivenciado isso alguma vez, sabe como a situação é desagradável, em especial quando se está preso por um longo período no trânsito. Afinal, deixar os vidros abertos nem sempre é uma opção, seja porque não vai resolver muito ou por questão de segurança.

Não resta dúvida de que esse é um item indispensável em qualquer veículo, seja ele de passeio ou trabalho. Apesar de estar cada vez mais presente nos carros de hoje em dia, nem sempre ele é devidamente utilizado. É comum o motorista não se preocupar o necessário com a sua manutenção, o que pode afetar o desempenho do carro e, até mesmo, influenciar a saúde dos usuários do veículo.

São cuidados relativamente simples, que vão garantir o bom funcionamento do sistema e a qualidade do ar que você respira. Pensando nisso, preparamos este post com algumas dicas sobre o uso correto do ar-condicionado automotivo e sua manutenção. Vamos conferir?

Veja também:

> Veja quais são as novidades das feiras de automóveis pelo mundo

> 6 motivos para não lavar o motor do seu carro

> Como escolher o melhor alarme automotivo para cada modelo de carro?

O que acontece se fumar com o ar-condicionado ligado?

Não é nenhuma novidade que fumar faz mal à saúde. Mas qual o impacto disso no ar-condicionado automotivo? Pois bem, se você é fumante ou permite que algum passageiro fume dentro do veículo fechado, a tendência é que a fumaça se concentre e fique confinada ali.

Essa prática pode causar diversos riscos ao organismo e faz com que a fumaça se acumule nos dutos de ar, provocando mau cheiro ― sem falar nos odores no estofamento ― nada legal, nem para você e nem para a carona, concorda?

Caso esses argumentos não sejam o suficiente para convencer você a não fumar ou deixar que alguém o faça dentro do veículo ― principalmente com o ar ligado ― saiba que o carro de um fumante costuma desvalorizar 5% a 10% mais que o de alguém que não fuma. Isso acontece porque pode ser necessário fazer a descontaminação dos dutos de ar a e limpeza do estofado, a fim de os preparar para o futuro comprador.

Em dias de sol muito forte, como usar o ar-condicionado automotivo?

Nas tardes mais quentes do ano, é sempre uma sensação estranha entrar no carro fechado, já reparou? O calor e o ar abafado podem causar dificuldade de respirar. O primeiro impulso é ligar o ar no máximo. No entanto, para otimizar seu uso e ter resultados mais rápidos, a dica é abrir as janelas e andar com o carro assim, até que a sensação melhore.

Assim que o ar interno for renovado, ligue o ar-condicionado em uma velocidade entre 3 a 4. Depois que o calor se dissipar, feche os vidros e, se preferir, diminua a ventilação. Dessa forma, você evita o choque térmico, comum em dias muito quentes, e que pode ser responsável pelo desenvolvimento de um resfriado.

Usar o ar aumenta o consumo do carro?

Provavelmente, essa é uma das principais questões sobre o assunto e, talvez, a que mais provoca dúvidas entre os motoristas. Afinal, andar de carro com o ar-condicionado ligado gasta mais combustível ou não?

A resposta é: sim! De fato, o consumo do veículo aumenta, em média, 20%, dependendo sempre de fatores como:

  • aceleração;
  • tipo do motor;
  • tipo do combustível;
  • potência do carro;
  • condições de manutenção (se estão em dia ou não);
  • desempenho do motorista no volante.

Portanto, quem está com a manutenção veicular em dia não tem muito com o que se preocupar, e não precisa ficar com receio de usar o sistema.

Qual a potência ideal para usar o ar-condicionado automotivo?

Outra questão importante em relação ao consumo de combustível é a temperatura e velocidade do ventilador utilizada. Quanto a isso, pode ficar tranquilo, pois não faz muita diferença utilizar o ar-condicionado no máximo ou mínimo, já que o gasto de combustível é praticamente o mesmo.

O mesmo vale para a ventilação. Se você usá-la no nível mais fraco ou no mais forte, a única diferença será a quantidade e força do vento, e em nada alterará o consumo do carro. A escolha depende do que for mais confortável para os ocupantes.

Ar-condicionado na estrada gasta menos?

Podemos dizer que sim, por alguns fatores. O consumo de combustível nas rodovias costuma ser menor, uma vez que o veículo opera em marchas de velocidade e com uma aceleração contínua.

Vale ressaltar também que os vidros abertos podem afetar a aerodinâmica do automóvel e, consequentemente, interferir no seu desempenho, consumindo mais do que se estivesse com os vidros fechados.

Por fim, viajar com as janelas abertas gera desconforto por causa do barulho e traz mais impurezas para dentro do carro! Ou seja, se quiser pegar a estrada com conforto, segurança e melhor desempenho, vale a pena ligar o ar e curtir a viagem com tranquilidade.

Circulação interna ou externa: qual usar?

A função de circulação interna não permite que seja feita a troca do ar de dentro do veículo com o meio externo. Essa é a melhor opção quando se está rodando em centros urbanos ― por questões da poluição e das impurezas ― ou em estradas empoeiradas, ou ainda, quando você está trafegando atrás de um caminhão. O sistema fechado impedirá a entrada da fumaça. Outra vantagem da circulação interna é que ela acelera o processo de refrigeração.

Por mais que ela traga conforto e benefícios, o ideal é variar entre as duas funções, para que seja possível a renovação do ar. Usar somente a circulação interna, durante muito tempo, pode ser perigoso para os ocupantes. Isso pode deixar o ambiente com pouco oxigênio e acumular CO², provocando dificuldade para respirar e sonolência.

Como utilizar o ar-condicionado da melhor forma?

É preciso bastante energia para acionar o compressor do sistema e permitir que ele funcione corretamente. Por isso, usá-lo apenas na bateria, vai exigir muito do componente, impedindo que ele refrigere o veículo de maneira eficiente. Sem falar que você pode comprometer a carga da bateria até para dar a partida.

Portanto, use o ar-condicionado automotivo sempre com o motor do carro ligado. Além de evitar a fadiga, melhorará o desempenho do ar.

Para quem não costuma usá-lo com frequência, o correto é ligar ao menos um dia na semana por alguns minutos, mesmo no inverno ― pode até ser para dar aquela esquentadinha no pé. A falta de uso deixa o sistema sem lubrificação e compromete a pressão e os níveis de gás.

A umidade que se acumula no sistema é a principal responsável pelo surgimento de fungos e bactérias, por isso é recomendado desligar o ar e deixá-lo no modo ventilação, alguns minutos antes do fim da viagem. Isso permitirá que a umidade se dissipe.

Como fazer a manutenção do sistema?

Há uma infinidade de peças que compõem o ar-condicionado automotivo, como bobina magnética, evaporador, caixa de água, chicote elétrico, termostato, compressor, filtro, muffler, entre outros. No entanto, o básico e mais comum é verificar frequentemente as mangueiras e a pressão do gás, e realizar a troca do filtro.

Existem empresas especializadas em limpeza e manutenção do sistema, se recomenda uma visitinha ao profissional ao menos uma vez por ano — o ideal seria a cada seis meses. Você também pode higienizar os dutos de ar de maneira periódica utilizando sprays antissépticos, próprios para isso.

O desempenho correto do sistema de ar depende do funcionamento de vários outros componentes, como o compressor e a ventoinha do condensador. Caso você perceba algum problema, o ideal é procurar uma oficina especializada quanto antes.

Por que é importante realizar a manutenção periodicamente?

Efetuar a troca de peças e a limpeza do ar-condicionado fazem parte da lista de cuidados preventivos do bom funcionamento do carro. Por isso, há a recomendação de uma revisão do sistema a cada seis meses em oficinas especializadas.

Além de ser uma questão de saúde e qualidade de vida — garantindo um ar saudável para você e os passageiros —, a manutenção também ajuda na economia de energia, pois permite a detecção de outros problemas, tais como tensões na correia de transmissão, fluxo de ar bloqueado através do condensador e do radiador e manchas visíveis de óleo refrigerante nos compressores, tubos, mangueiras e acessórios.

Vale ressaltar que veículos que saíram de fábrica sem o ar instalado, precisam ter atenção redobrada e muito cuidado na instalação do aparelho. Afinal, não se trata apenas do funcionamento do item, mas dos impactos que essa adaptação pode trazer para os demais componentes do carro. É bom avaliar bem o custo-benefício, pois, em alguns casos, pode haver desvalorização do veículo.

Não resta a menor dúvida de que o ar-condicionado automotivo é um item fundamental para o bem-estar de quem dirige. Ele contribuí para uma viagem mais tranquila e confortável.

Vale reforçar que o bom uso do aparelho garante um melhor desempenho do carro e interfere na saúde dos ocupantes do veículo. Portanto, mantenha sempre a manutenção em dia, opte por peças de qualidade garantida e aproveite a direção com o máximo de comodidade!

Com esses cuidados básicos com o ar-condicionado automotivo, você poderá usufruir do conforto que o sistema de ar pode oferecer sem aumentar suas despesas.

E por falar em cuidados, confira aqui como fazer a hidratação dos bancos de couro da maneira correta!

Powered by Rock Convert
Você também pode gostar

6 thoughts on “Quais as principais dúvidas sobre o uso do ar-condicionado automotivo?

  1. Entrei no blog pois ouvi a propaganda no podcast Café Brasil e me surpreendi com as dicas. Assuntos importantes tratados de forma direta, realmente o tipo de informação de qualidade que nos ajuda muito! Parabéns à Nakata pelo blog!

  2. É verdade que se ligarmos o ar condicionado com o motor em rotações elevadas prejudica o compressor.
    O ideal seria ligar o mesmo quando estivermos com rotações menores, como na marcha lenta.

Deixe um comentário