Componentes e Peças

Descubra como o eixo diferencial funciona em caminhonetes e picapes

COMPARTILHE:

Se você gosta de carros de tração traseira, picapes ou de caminhões, provavelmente já ficou curioso para saber como é o sistema que leva a força do motor, da parte dianteira para as rodas de trás. Para que isso ocorra, saiba que o eixo diferencial é de extrema importância.

Quer saber mais detalhes sobre o assunto? Depois de ler este texto, você será um craque em eixo diferencial. Vamos lá?

O que é eixo diferencial?

O eixo diferencial é um componente que tem como principal função é receber a força  gerada pelo motor através do eixo cardan, e transferi-la para as rodas de tração. Uma das principais atuações do diferencial é no momento da curva, onde uma roda precisa girar mais do que a outra. Para que isso aconteça de maneira satisfatória, dentro dele há um engenhoso sistema de engrenagens.

Essa peça é montada entre as rodas que recebem a tração do motor. Os veículos 4×4 possuem também uma caixa de transferência central que interliga os eixos dianteiro e traseiro. Nos automóveis atuais, que têm tração dianteira e motor transversal, o câmbio costuma fazer o trabalho do eixo diferencial, pois existe um diferencial integrado simplificando o mecanismo.

Porém, em veículos de tração traseira ou 4×4, isso não é tarefa simples. Primeiro, porque a rotação do motor é transmitida para trás por meio do eixo cardan. Se você não sabe, essa peça conecta a dianteira à traseira do veículo, ou seja, está instalado longitudinalmente. Assim, a rotação não chega no sentido correto para movimentar as rodas. Então, fica a cargo do eixo diferencial fazer essa mudança de 90 graus na rotação.

Em seguida, surge outro problema para ser resolvido pelo eixo diferencial. Ao fazer curvas, as rodas giram em velocidades diferentes. Isso ocorre porque a que está do lado de fora da curva precisa percorrer um espaço maior no mesmo intervalo de tempo. Para contornar esse problema, os componentes internos do eixo diferencial entram em ação.

Para completar, o eixo diferencial precisa ser muito resistente. Além de transmitir o torque necessário para as rodas traseiras girarem, ele sustenta boa parte do peso do veículo e de sua carga.

Agora que já sabe o que é eixo diferencial, conheça o seu funcionamento interno.

Quais são as peças que compõem o eixo diferencial?

Basicamente, o eixo diferencial é composto por 5 tipos de peças: coroa, pinhão, caixa, satélites, planetárias e semi-eixos. Cada uma tem uma função específica, mas o interessante é o trabalho interligado que elas realizam. Agora, você conhecerá suas funções específicas.

O pinhão recebe a rotação do eixo cardan, que gira no mesmo sentido. Porém, está conectado à coroa por meio de engrenagens, posicionadas de maneira que o giro seja transmitido corretamente. Ou seja, muda em 90 graus o sentido da rotação.

Além disso, os dentes das engrenagens que ligam o pinhão e a coroa são projetados para diminuir a velocidade de rotação que chega às rodas. Isso faz com que o torque aumente. Em um veículo de transporte de carga isso é fundamental.

Ao receber a rotação do pinhão, a coroa já pode transmitir o giro para as rodas, pois o sentido está correto. Porém, você se lembra do problema das curvas? É aí que entra a dupla satélites e planetárias. As engrenagens dessas peças são cônicas. Com esse formato, são capazes de transmitir velocidades diferentes, de acordo com o ponto de contato.

É aí que está a mágica de cada roda girar em uma velocidade diferente nas curvas. Por conta disso, o eixo que liga uma roda a outra precisa ser dividido. Assim, são dois semi-eixos, que finalmente fazem chegar a rotação a cada uma das rodas traseiras, na velocidade correta.

Como detectar defeitos no eixo diferencial?

Por conta da grande carga de trabalho que o eixo diferencial recebe, é imprescindível que a sua manutenção esteja sempre em dia. Para isso, é fundamental que todo o sistema receba lubrificação adequada. Assim, verifique no manual do seu veículo qual o óleo adequado.

Além disso, nada de sobrecarregar o veículo, pois essa é uma das principais causas de problemas no eixo diferencial. De modo geral, o componente é bastante resistente, mas excesso de peso, falta de lubrificação e batidas no eixo podem ocasionar sérios problemas.

Os defeitos mais comuns ocorrem nos semi-eixos, que são os mais sobrecarregados quando há excesso de peso.

Outro problema que pode ocorrer é a quebra de algum dente do pinhão, da coroa, dos satélites ou das planetárias. Quando o motorista é cuidadoso e faz a inspeção preventiva, esse defeito é raro. Porém, caso venha a ocorrer, todo o eixo diferencial ficará comprometido. O resultado será a perda de eficiência na transmissão, além do barulho por conta da engrenagem quebrada.

Caso passe por isso, o ideal é desligar o veículo imediatamente e acionar o guincho para levar ao mecânico. Assim, evita-se o aumento do estrago, uma vez que uma engrenagem quebrada pode acabar quebrando outra, gerando uma reação em cadeia.

Como escolher uma oficina para manutenção do diferencial?

Para manutenção preventiva ou corretiva, o proprietário deverá levar seu veículo em uma oficina que tenha competência para trabalhar com eixo diferencial, pois você deve ter percebido que se trata de um componente complexo. Sendo assim, haverá a necessidade de conhecimento técnico, ferramental adequado e peças de substituição de qualidade.

Assim, o ideal é que a oficina escolhida seja especializada em transmissões de picapes e veículos de carga. Não tenha vergonha de perguntar se eles têm as ferramentas certas e não deixe de exigir peças de fabricantes reconhecidos pela qualidade.

Isso é importante porque, caso seja necessária uma manutenção corretiva, provavelmente o eixo diferencial será retirado do veículo. Depois, o mecânico terá que abrir o eixo, retirar as peças quebradas e substituí-las por outras com as dimensões exatas. Além disso, tudo deverá ficar sincronizado e com as folgas corretas. Por último, deve-se instalar o diferencial de volta ao veículo.

Depois de ler este post, o assunto eixo diferencial ficou mais claro para você? Com o conhecimento que adquiriu aqui, você já é capaz de entender o funcionamento desse sistema e terá mais facilidade para zelar pelo bom funcionamento do seu carro. Quer ter acesso a mais dicas para ter ainda mais conhecimento sobre mecânica de automóveis? Assine a nossa newsletter e fique sempre bem informado!

Componentes e Peças
COMPARTILHE: