Cubos de roda: veja como fazer a manutenção corretamente

Cubos de roda: veja como fazer a manutenção corretamente
6 minutos para ler

Você sabe que realizar as manutenções preventivas de um veículo de maneira regular é fundamental para garantir a segurança na direção. E é basicamente impossível abordar esse assunto, sem citarmos o sistema de freio. Ele pode ser considerado um dos itens mais importantes no quesito segurança.

São muitos os elementos que compõem, direta ou indiretamente, esse conjunto. Os cubos de roda, apesar de não serem mágicos, fazem tudo funcionar perfeitamente. Brincadeiras à parte, são eles os responsáveis pela fixação das rodas, discos e tambores de freio. Não bastasse isso, é por meio deles que o movimento da junta homocinética é transmitido para as rodas.

Preparamos uma série de dicas que otimizarão ainda mais o seu trabalho e contribuirão para que a manutenção dos cubos de roda seja feita da melhor forma. Confira tudo no artigo a seguir!

Como detectar se há problemas?

Ruídos intensos nas rodas ― podem ser um sinal característico de que algo não vai bem. É comum que o problema esteja nos rolamentos. Os danos podem ter sido causados pela falta de lubrificação, o rolamento pode estar danificado.

Vibração  ― a vibração piora conforme a velocidade do carro aumenta. Os cubos de roda que estão com problema podem confundir o diagnóstico com eventual problema de balanceamento da roda. Aqui, mais uma vez, rolamento pode ser o vilão.

Vibração no pedal de freio ― se ao iniciar freio houver trepidação no pedal, esse também pode ser um indicativo de problemas no cubo de roda.

Folga ― se ao elevar o veículo para algum reparo, você percebeu que o conjunto pneu/roda apresentao folgas, pode ser um sinal de que o cubo de roda está danificado.

Como conferir o empenamento dos cubos de roda?

Nos casos em que se percebe a vibração no pedal, pode haver dúvida se o problema está no disco ― que pode estar empenado ― ou no cubo. Para fazer um diagnóstico preciso é necessário fixar bem o disco no cubo, por meio de dois parafusos das rodas.

Com o relógio comparador e a base magnética, meça o empenamento e marque com um giz os pontos onde está o zero e o máximo. Feito isso, desmonte o disco e refaça o processo agora medindo o empeno do cubo.

Com essa operação é possível detectar se o empeno está no disco de freio ou no cubo da roda.

Quais os cuidados na montagem e desmontagem?

Apesar de ser um sistema robusto e confiável ― fabricados em aço forjado e com vedações de alta durabilidade ― os cubos de roda precisam de alguns cuidados durante a desmontagem e montagem.

Pancadas ou uso de ferramentas inadequadas no momento do soltar a porca de fixação do cubo ao eixo podem danificar o sistema. Não use o martelo para bater no rolamento, isso pode causar trincas, o que comprometerá a vida útil do componente.

Na hora do aperto, a atenção deve ser redobrada. O excesso de torque pode provocar o superaquecimento dos rolamentos. Em decorrência disso, o conjunto pode travar a roda causando um grave acidente. Além das questões de segurança, esse exagero pode resultar em trepidações no pedal durante a frenagem.

A falta de aperto também pode ser responsável por problemas semelhantes. O ideal é utilizar o torque recomendado pela montadora do veículo. Para evitar o empenamento do conjunto, é recomentado que se faça o aperto dos parafusos da roda de forma cruzada.

O que considerar na manutenção?

Onde requerido, uma boa lubrificação prevenirá o desgaste prematuro do sistema. Escolha uma graxa de qualidade para lubrificar o cubo e o rolamento.

No momento de remontar o conjunto, limpe as faces de contato entre o disco de freio e o cubo da roda, utilizando uma escova de aço ou lixa de ferro, a fim de remover qualquer vestígio de oxidação ou rebarbas. Limpe os discos com um produto desengraxante.

Quando estiver fazendo a manutenção, procure não deixar a pinça de freio pendurada pelo flexível. Utilize um gancho resistente para esse fim, assim você evita danificá-lo. Examine as pinças em busca de algum eventual vazamento. Cheque o funcionamento dos êmbolos e o deslizamento dos pinos-guia.

Se perceber qualquer irregularidade substitua as peças ―, mas lembre-se, não comprometa a qualidade do seu trabalho com uma peça sem procedência ―. Ao trocar os discos, substitua também as pastilhas. Dica: para não contaminar as pastilhas, suas mãos devem estar limpas no momento da instalação.

Aproveite que você está com a mão na massa e verifique também como está a manga de eixo, discos e tambores de freio. Observe também o estado dos terminais de direção e axiais, se comprometidos, também podem ser os responsáveis por vibrações na direção durante o processo de frenagem. Isso pode levar a um diagnóstico equivocado.

Por que orientar o cliente?

Você sabe bem como resolver os problemas do veículo, e pode deixar o cliente ainda mais satisfeito com o seu serviço. Com algumas dicas simples, você o ajudará a garantir a vida útil de todo o conjunto.

Pneus ― sempre utilizar pneus bem calibrados, de medidas originais e adequados ao veículo

Carga ― não exceder o volume de carga recomendado pela montadora.

Direção ― evitar os buracos e pancadas fortes na roda. Não trafegar por áreas alagadas, pois isso pode causar infiltrações e oxidação de componentes internos.

Manutenção ― fazer todas as manutenções preventivas do veículo, principalmente da suspensão.

Realizar a inspeção nos cubos de roda é um trabalho relativamente simples, mas que requer alguns cuidados. Com as ferramentas certas e respeitando o cronograma de manutenção preventiva, é possível proporcionar confiabilidade e dirigibilidade ao veículo.

Trabalhamos duro para oferecer a você os melhores produtos e informações. Assim você está sempre atualizado com conteúdo de qualidade. Assine nossa newsletter para não perder nada!

Powered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe um comentário